Como montar uma Single Speed - Truques & Dicas

:eek:fftopic:
sniper_pt, senão for indiscrição, onde é que pintaste o quadro?

Também quero pintar o meu quadro e garfo da sirla e ainda não decidi onde...
:back2topic:

Tá bonito o quadro, sim senhor... :yeah:
 
Foi o amigo do amigo do primo do irmão do conhecido do genro do avô do padrinho do vizinho de baixo e como tal não sei quem foi, mas agradeço-lhe mto!

Dsc não te poder ajudar...
Abraço
 
Acabei de montar a minha singlespeed (aqui) e tive que construir um esticador já que o quadro tinha dropouts verticais. Como está funcionar bem, deixo aqui as fotos da versão melhorada do esticador do suiciclo:

Primeiro, comprei uma rodinha de plástico na Rua do Almada por 10 cêntimos. Apertei-lhe um parafuso e coloquei-a no berbequim. Com um bit de chave de fendas, torneei a rodinha à McGyver para ficar com um rasgo mais profundo e largo, bom para passar a corrente.



Cortei um bocadito de tubo de alumínio ligeiramente mais comprido que a largura da roda. Alarguei o furo da roda para ficar ligeiramente mais largo que o diâmetro exterior do tubo.



Arranjei uma tira de chapa com um rasgo no meio. Se não tivesse o rasgo, tinha que lhe fazer vários furos para regular a altura da roda. Fixei o tubo à chapa com duas anilhas largas em cada extremidade, e fiquei com um eixo para a roda girar. Falta colocar a roda no eixo, nesta foto.



Agora só falta segurar a chapa à escora. Eu segurei-a a meio da escora, que é onde a corrente passa mesmo por baixo. Como não tinha nenhuma abraçadeira (estilo as dos reflectores traseiros), simplesmente usei uns zip-ties e um bocado de plástico duro a servir de tala. Por cima da chapa está um quadradinho de câmara de ar para não arranhar a pintura... É uma fixação meio gueto, mas funciona. Pode ser ajustada à mão num instante, e não me deu problemas para já. É mais silenciosa do que estava à espera. E só me custou 10 cêntimos e 3 zip-ties. :mrgreen:



Boinga
 
Pois pelo que já pude observar ja tenho o essencial para iniciar a montagem da minha single speed a partir dos restos que se encontram espalhados pela oficina. Espero em breve colocar aqui as fotos da mesma de modo a que possam pronunciar do trabalhito.

Boinga tens também ai um sistema genial e principalmente €conomico, parabens
 
Pronto, pronto... :rotfl: :rotfl: :rotfl: :rotfl: :rotfl:

Cá fica a verdadeira história:

Como está agora na moda, resolvi tambem eu construir uma bicicleta sem mudanças, ou single speed para quem não percebe português.

O projecto já andava no ar ( aqui ) desde Maio de 2006. Mas o trabalho de enraiar a roda de trás estava a adiar o projecto. Depois o Biculas surgiu com a sua, reanimou a vontade para criar esta obra.

Começando por seleccionar as peças velhas que iriam ser utilizadas, com segurança acima de tudo! Para não me aleijar, pedi ao ICO para fazer o trabalho mais duro:


Depois, foi juntar o que seria utilizado, neste caso o prato e a corrente para a transmissão:


ICO a desmontar as peças que não iriam fazer falta:


Transmissão já montada, a cassete utilizada é que deu mais trabalho, estava na dúvida se uma demo dos SORTILEGE, ou se uma shimano mega-range, a primeira fazia muito ruído a rolar, a outra dava trabalho a demontar, optei por pôr uma dos AEROSMITH "get the grip"


Já com pedais ultra-mega-leves


Aqui já estava quase pronta:


Aqui nesta fase, já estava pronta a rolar, mas o tamanho do aro não permitia pedalar sem tocar com os cranks no chão, ainda tentamos encher as rodas ao máximo para ver se ficava mais alta, mas o resultado não foi o melhor:


Então tive que fazer umas alterações tudo a base de rebarbadora, soldar, põe daqui e tira dali...
Então surgiu uma transmissão linda de morrer:


com um esticador marca DOC (estou mesmo orgulhoso deste promenor):


Um novo prato mais pequeno que o anterior de 31.5 (tem um dente partido, dá para ver na foto)


Sem mudanças atrás:


Sem mudanças à frente:


Agora a fase do nome!!! Sabia que seria uma c******, então o ICO lá pintou as letras.


Mas o Biculas já tinha lançado a primeira c******, então pus-me a pensar :-K e pensar :-K e pensei mais um bocado :-K :-K , a minha, ao contrário da do Biculas, tinha suspensão à frente, uns travões mais evoluídos, e era mais artesanal, dava um ar mais PROfissional, então passou a ser a c****** PRO.
Mas não era o sufeciente, pensei em dar outro nome :-K , pensei em por PRO-JOÃO ALFERES, por ele me ter oferecido o par de pneus que lhe tinha montado, mas era muito longo, pensei em PRO-TRAVELER, pelas garrafas que me deu... mas soava-me muito a papa-almoços... então, resolvi homenagear o Biculas por ter feito a primeira c******!!!!
Então, nasceu assim a c****** PRO BICULAS!!!!



Aqui,já pronta a sair do banco de ensaios, espantoso como as rodas não cairam.


Aqui depois da sua primeira saída:


O resultado final até funciona, o que achei estranho é que o quadro em que fiz alguns milhares de km, parece que encolheu e no curto precursso que fiz não achei nada comfortável, provavelmente será uma bicicleta para dar voltas com o ICO ou para ira a tasca.

Equipamento:
Rodas: 2 uma a frente redonda e uma atrás oval.
transmissão: doc
corrente:tem uma
travões: um em cada roda
pneus: João Alferes
guiador: a frente
banco: tem
pedais: 2, um esquerdo e um direito
quandro: cromado, vi uma bicicleta igualzinha e toda original no passeio da Quinta do Conde:

Nesse dia (para quem não sabe) estava todo torcido, foi o que consegui fotografar.
 
Boas!

Ando prestes a ter a minha SS para, basicamente, ir à tasca e pró meu pai dar umas curvas na vila...

Já tem estas peças:

Quadro Specialized Rockhoppper Direct Drive em Cr-mo (2200gr):




Forqueta retirada duma Esmaltina, que ainda está por pintar à cor das letras do quadro:




Rodas retiradas duma bike que a minha cara metade tinha... Não têm marca.... A cassete é de 6 vel. Vamos a ver no que dá para "bricolar" por ali...




Peças várias: travões V-Brake XT, manetes Shimano, avanço Pro, guiador Kore, selim Selle XO, pedais shimano spd e plataforma:




Preview:




Falta chegar no correio uma pedaleira que comprei por aqui.

Depois, é instalar os acessórios prá corrente e os adaptadores da forqueta (1') e tá pronta.

Antes disso, há que pintar a forqueta.

Para mais tarde, umas rodas de jeitos....

Cumps.
 
Muito bom "Doc" :rotfl: :rotfl: :rotfl:

Quando começas com a produção em série? :mrgreen:

Tem tudo para ser um sucesso, ainda para mais ao som dos AeroSmith :mrgreen:

Já agora podias colocar a lista de pesos :lol:
 
Boas!

Já pintei o quadro todo de novo e a forqueta também na mesma cor.

Depois irei colar uns "tós" da marca, agora em branco.

Já tem o seguinte material para ser montado esta semana na Novisport em Vendas Novas:

- quadro: Specialized Rockhopper Direct Drive Cr-mo
- forqueta: aço
- rodas: Sun, compradas ao "jppina", as quais vinham de uma Kona Unit
- pedaleiro: Truvativ
- pneus: Hutchinson Mosquito
- travões: XT
- manetes: shimano
- pedais: shimano spd e plataforma
- guiador: Kore rizer
- avanço: Pro
- espigão: Ritchey Comp 27.2
- selim: Selle XO
- punhos: On/Off

Falta uma corrente, cabos e um eixo pedaleiro para ficar tudo pronto....

No fds já a devo ter e depois ponho aqui umas fotos....

Boas single-pedaladas....

:mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
 
Boas pessoal do desporto Rei !!!

Só agora é que vi o relato da construção da K...pro biculas :rotfl: :rotfl: está brutal isso dáva uma rábola tipo " Diz que é uma especie de montagem de bicla sem mudanças chamada K...pró Biculas ..." lindo,lindo !!!

Eu penso que este post demonstra bem a filosofia da malta das SS ou sem mudanças ,pasteleiras ou seja lá o que isso for :mrgreen: ... bem pelo menos é uma bicicleta e isso é que importa !!!

Cumprimentos e larguras
 
Mesmo antes de completar a minha nova companheira multispeed, e claramente influenciado pelo minimalismo das SS, decidi avançar para a construção de uma.

Na verdade, a SS irá, espero eu :oops: ajudar a perder alguns dos 20 quilinhos que para já tenho a mais, graças a meia dúzia de anos afastado do BTT e sentado demais em frente ao computador/volante.

O valor desta comunidade provou-se com o tópico de procura de quadro que coloquei nos classificados. Inúmeras propostas surgiram, e acabei por conseguir um quadro de alumínio da respeitada marca CALOI com 1792g, a custo 0.

Apesar da minha ideia inicial ser um quadro de cromoly, por causa da estética e geometria tradicionais, não enjeitei esta possibilidade. Não consegui no entanto deixar as coisas de origem por muito tempo. 2 minutos depois de entrar na oficina, o quadro já tinha o dropout cortado, sinal da definitiva ruptura com o multispeed. Seguiu-se o apoio do cabo do desviador dianteiro, que estava soldado ao tubo do selim.

Eu sei que depois não vou conseguir fixar um esticador no sítio do dropout, mas na altura algo me ocorrerá para fazer um esticador diferente :wink:

Para já, e como a utilização desta SS vai ser exclusivamente treino de frequência em estrada, e num trajecto muito controlado, plano e asfaltado, tratei logo de enfraquecer (aligeirar para os optimistas :twisted:) o quadro...

Senão vejamos:


As soldas originais e típicas destes quadros.


A testa já sem o enchimento.


A zona do topo do espigão do selim, já com a lixa 120


A solda de um apoio de v-brake logo após a passagem da escova de aço.


E o apoio já devidamente lixado.


As terminações da escora esquerda ficaram muito bonitas. É talvez o ponto que mais me preocupa quanto à fragilidade.


O CALOI já sem a companhia do dropout.

O procedimento é relativamente simples mas extremamente moroso. Passo primeiro uma escova de aço rotativa para eliminar as "ondas" da soldadura e para desbastar à altura ideal. Depois com tiras de lixa 120 e 220 vou massajando a zona e criando uma forma minimamente fluída. Pelo caminho é preciso esconder a margem da solda e as dentadas da escova.

O pré-acabamento será com lixa de água 800 e 1000.

Depois de devidamente suavizado e moldado, o quadro será polido para umas voltas de teste. Se entretanto não partir com os meus 110 quilitos e se não me assustar com o preço, será anodizado em cor "titânio". Algo situado entre a cor champanhe e a cor do bronze... :D

A forqueta... ando a magicar se conseguirei aproveitar os dropouts de uma forqueta tipo marzorcchi zokes ou similar, em que o dropout encaixa por fora da perna. Assim conseguiria fazer algo como a ON ONE Superlight carbono, mas com a tubagem em alumínio. Ideias malucas... eu sei...

Isto leva-me à opção de colocar apenas um travão atrás. Como em breve vem um kit de single digit 7 novos para a multispeed, ficarei com um XT 2007 que tem aquele ar todo XPTO para colocar aqui. Para o tipo de utilização penso que será suficiente.

O resto... bem o resto vai esperar que a secção de classificados do fórum volte a abrir...

Entretanto vou mostrando a evolução da dieta do quadro. :yeah:
 
Tá um bom trabalho, sim senhor. Muita hora aí perdida e muita dedicação à causa!

Tenho alguns reparos a fazer no entanto.

Ao tirar os cordões de soldadura a esse quadro tens que compreender que estás potencialmente a reduzir a resistência e os riscos que de ai vêm. A profundidade de penetração pode não ser das melhores nesse quadro e isso deixa-te com uma área efectiva soldada muito pequena. Usa a bicicleta mas mantêm sempre debaixo de olho os pontos críticos, tais como a ligação entre o tubo da direcção e o tubo diagonal e as escoras inferiores logo atrás do pedaleiro. É que como o quadro é antigo, pode já ter uns km valentes e retirar material só vai exacerbar a susceptibilidade à falha por fadiga do metal. Repara que poucas marcas de topo fazem isso aos quadros, mesmo aqueles bastante caros.

Depois... a questão do travão... Aí discordo completamente da tua opção de um travão só atrás. Ao fazeres isso estás deliberadamente a reduzir grandemente a tua capacidade de travagem, especialmente quando dizes que tens alguns quilos a mais.

Como deves saber, durante a travagem a maior parte da massa do ciclista+bicicleta é redistribuída para a roda da frente deixando a roda de trás com pouca carga, logo com pouca aderência em travagem. Embora isso sirva para uns passeios na marginal ou em estradas calmas nunca se sabe quando alguma criança se vai meter à tua frente ou algum carro vai fazer alguma manobra perigosa. É uma questão de segurança acima de tudo.

Sobre este tema há muita info na "Bíblia" do Sr Sheldon Brown:

http://www.sheldonbrown.com/brakturn.html

De resto tá um projecto muito interessante e fico à espera de fotos da bike completa!
 
350plus, obrigado pelas oportunas considerações. :ideia:

De facto, estou a contar com dois factores muito importantes para manter a alegria no constante mau trato que dou ás mãos a lixar o quadro:

O primeiro é que à partida a probabilidade de o quadro partir é grande, já o reconheci. Portanto, se não partir durante algumas centenas de quilómetros, já darei o projecto como bem sucedido.
O segundo é, de forma optimista, estar a contar que o quadro, como alumínio bem comportado que é, a partir, parta de forma denunciada e em local seguro.

Naturalmente, e não me querendo sobrepor aos engenheiros dos genuínos fabricantes de bicicletas que necessitam de pensar na porrada que os quadros levam nos trilhos por esse mundo fora, conto que a vida pacata que espera este quadro doravante, esteja abaixo do limiar de fadiga do mesmo. Mesmo fragilizado É o saber empírico no seu melhor, o bichinho da experimentação a fazer das suas. :roll:

Entretanto estou a acertar os pormenores da compra do restante material da bicicleta, bem como de um quadro suplente, pelo que, em caso de catástrofe, desde que as esfoladelas nas pernas e braços o permitam, é só montar o material no quadro novo e estamos de volta à estrada. :mrgreen:

A questão dos travões: Tudo dependerá de como a problemática forqueta se desenrolar. Pode ser que as minhas ideias malucas de construir uma forqueta não passem do papel, e então não vão andar os pinos do v-brake da forqueta convencional a fazer figuras tristes sem nada lá colocado. Ou eventualmente haverá hipótese de colocar disco à frente. Enfim. O desenrolar dos acontecimentos ditará a escolha.

Este projecto é essencialmente um campo de experimentação. Muito trabalho que pode dar em nada, algum potencial perigo à mistura, mas ao mesmo tempo a satisfação de encaminhar as coisas de forma artesanal e divertida. :)

Update ao projecto: Nada de muito relevante. Já gastei 2 folhas de lixa e dei por alinhavados todos os grandes pontos de intervenção, com excepção do vértice junto ao pedaleiro, por sinal o mais ingrato. Se tudo correr bem, segunda feira devo ter o quadro polido e montado para as voltinhas de teste.