[Foto-Report] dos passeios semanais pelas Rotas do Ouro - Jales (V.P.Aguiar)

#22
Pedras que a água levou! - 07 de Março de 2010

Passada uma semana damos a conhecer o que foi o último passeio. E uma semana porquê? Não teve de todo a ver mas, esta última saída, tal era o vício, uma vez que viriam 15 dias de abstinência, foi feita debaixo de chuva e daí o Zé ter apanhado um empeno dos grandes ao nível da garganta (amigdalite aguda) que o impediu e não lhe deu vontade nenhuma de actualizar a página.

Fomos quatro os que nesse dia de chuva pedalámos, o Adriano punha à prova o seu joelho depois de umas sessões valentes de fisioterapia e de caminhadas depois de uma ausência prolongada. O Manel tentava imaginar o último dia em que havia pegado na bicicleta, tantos eram os dias que nem deu para saber…imagine-se que nem a habitual bicicleta vermelha trouxe com receio que a mesma reclamasse de tanto tempo estar parada…

Pedalámos em direcção a norte de Campo de Jales e, na primeira subida do dia, o pulso saltou à vista tal era a quantidade de lama e sulcos que tractores e camiões fizeram em trabalhos de ordenamento florestal.



Na chegada a Covas abrigámo-nos num local onde um carro de trabalhos agrícolas estava preparado com as alfaias em cima para receber uma qualquer junta de vacas e seguir para os trabalhos agrícolas… aí abastecemo-nos de algo para seguir viagem e só ao ver a água que caía do telhado é que vimos o que chovia…!

Antes de sairmos ponderou-se o estado de cada um e reparámos que pelo menos as luvas estavam completamente molhadas, aliás, o Adriano torceu-as para ficarem mais leves…

Decidimos fazer o percurso da ponte de madeira nas imediações da localidade de Reboredo que atravessa o Rio Tinhela, mas em sentido oposto ao que tinha sido feito das últimas vezes que lá passámos.

A aproximação ao rio teve de se fazer a pé por causa das pedras polidas completamente escorregadias. Aí tivemos tempo de reparar, ao contrário do que acontece quando vamos em cima das bicicletas, que as últimas cheias acabaram por destruir o pouco que existia de alguns moinhos que ali estavam plantados desde há dezenas de anos a esta parte e cujos mesmos, moeram muito do pão que se comeu na região.

Parámos e apreciamos ou melhor, tentámos perceber a arquitectura de alguns deles que mostravam os canais completamente tapados e as mós instaladas no sítio original cuja água das cheias não as conseguira mover.



Dali saímos em direcção a casa, no entanto ainda houve quem mostrasse algum receio em atravessar a ponte em cima da bicicleta dando a demonstrar por gestos que as suas velhas tábuas se mexeram quanto bastasse na passagem de um dos aventureiros. Passando pela localidade mais próxima rumando a Cidadelha e depois ao chá do costume antes do ansiado banho de água quente depois de tamanha encharcadela.





Mais imagens do percurso AQUI


 
#23
Uma volta de baptismo com a Boa e Merecida Camaradagem

A última volta BTT serviu para recebermos nas lides "BTTistas" um novo elemento, o Jorge Ferreira, como tal, foi dia de baptismo...dele a da sua recem adquirida BMC.

A sua nova montada não estava nada habituada a este tipo de trilhos mas com equilíbrio daqui, equilíbrio dali lá foi percorrendo alguns trilhos de recorte técnico.



Só por curiosidade; O PUF passa neste trilho também :mrgreen:



A primeira paragem deu direito à primeira foto da nova montada...


Dos single tracks de Cidadelha descemos ao rio e atravessamo-lo pela ponte Romana recentemente recuperada.




Na localidade de Covas seguimos o trilho do PUF n.º 10 - Rotas do Ouro e chegados ao alto avistamos um Cercado Romano (brevemente faremos o relato de uma incursão a este vestígio romano).






Cercado Romano


O regresso fez-se por Vilarelho e nada melhor que aproveitar o percurso habitual e subir, subir, até à localidade...aqui todos se agarraram...




Desde Vilarelho rolámos a boa velocidade pelo planalto até ao ponto de partida.


Tal era a velocidade que até o potro que caminhava em sentido oposto se assustou com a fúria da BMC.


Até o pastor ficou contente em ver alguém aparecer no meio do nada.

Mais fotos AQUI

 
#25
Reconhecimento e caça à fita - 05 de Abril de 2010

Aproveitando um dia solarengo, nada melhor que ir dar uma volta de BTT e reconhecer ainda melhor e verificar o estado dos trilhos da segunda parte do PUF n.º10-Rotas do Ouro e, embora o dia de “Limpar Portugal” já tivesse passado, decidimos também “limpar” aquilo que alguém num raid TT ”sujou”, ou seja, remover fitas sinalizadoras que, presas a árvores, muros, postes, giestas, etc,… teimavam em não se degradar dando muito mau aspecto. Alertamos para que ninguém siga fitas no dia do passeio porque o mesmo não é marcado.

A primeira paragem deu-se na localidade da Ribeirinha e aí, não encontrámos ninguém na rua a não ser um burro preso com a albarda carregada e uma das galinhas a quem, quando se chega à aldeia se pede para ter cuidado com as mesmas…




Quando subimos em direcção a Cevivas pudemos verificar que a Primavera começa a notar-se por estes lados, embora ainda tudo esteja muito atrasado em termos de floração.




À saída de Cevivas pudemos comprovar que a chuva fizera das suas….afinal isto é mesmo técnico e é só pedra…!!!

Por momentos pediu-se uma suspensão total para fazer a subida mais confortavelmente…


O recente mau tempo fez com que algumas árvores tombassem nos caminhos.




Depois da localidade de Vilarelho o percurso é rápido e interessante com trilhos largos a rodearem-nos de coníferas.


Antes de chegar a casa ainda houve tempo para uma foto com o lixo que recolhemos pelo caminho.



Mais fotos AQUI
 
Last edited:
#27
Com o intuito de "ressuscitar" o tópico, passamos a apresentar o que vamos continuando a fazer semanalmente... a diversidade e abundância de trilhos surpreendem-nos cada vez que saímos para eles...

Na senda de uma calçada romana com visita ao "Tio Ruca"
Durante o verão, nas nossas voltas com a bicicleta de roda fina, ao passar pela vila de Murça, avistávamos ao longe e com íngreme inclinação, uma calçada romana muito bem conservada, bem como, uma ponte romana muito bonita que atravessava o rio Tinhela. Abria-nos o apetite para uma descida BTT.
Há uns tempos a esta parte, em conversa com uma pessoa amiga da localidade do Pópulo, questionava-a se conhecia tal calçada. As dicas que nos foram dadas por essa pessoa teriam de nos levar à localidade de Cadaval, porque, era por aquele local que, em criança, ela descia e subia desde a vila para a sua terra.
Nada melhor que ir ao nosso amigo Google Earth e, mais ou menos pela localização, traçar alguns pontos por onde deveríamos passar.O trajeto que idealizámos levava-nos até à localidade de Asnela, passando por Alfarela, Carva e Alto do Pópulo.
Saímos por volta das 8.30 da manhã com temperaturas negativas e muita água nos trilhos, proveniente do descongelamento da neve que tinha caido no dia anterior. O primeiro contratempo deu-se na passagem por Alfarela quando, na paragem para a primeira foto se ouve um barulho estranho de algum pneu a esvaziar…o liquido anti furo acumulou-se na válvula e a mesma não ficara bem fechada…o pneu estava vazio…o primeiro aquecimento deu-se logo a encher o pneu com uma daquelas bombas miniatura.
Posto isto, o Zé decide inventar mais umas coisas e na localidade de Cortinhas, porque não lhe estava a apetecer subir, decide ir pelo vale em direção à Carva por uma trialeira com grandes pedras cheias de musgo e água…azar…que a determinado momento se decide por um caminho sem saída, o que nos obrigou a avançar um muro e a atravessar uns lameiros completamente inundados, até ao caminho mais próximo.

Nas proximidades de Carva seguimos em direção a Asnela onde ainda se viram alguns vestígios da última nevada. Até ao alto acompanhou-nos sempre nas bermas.
Já na zona planáltica entre Asnela e o Alto do Pópulo passámos por uns afloramentos graníticos imponentes e mais à frente uns quilómetros, vimos uma Necrópole Megalítica.

Na descida para a localidade de Cadaval o Zé seguia à frente a velocidade considerável quando, a determinado momento, entra numa zona pantanosa que à distância não era percetível, a sorte foi que conseguiu sair da bicicleta pelo para brisas sem danos…a bicicleta ficou completamente enterrada na lama.
Depois de passarmos nuns quantos charcos, deu para limpar um pouco a lama e aliviar um pouco de peso nas bikes, proveniente da lama.


A descida para a localidade de Cadaval faz-se a bom ritmo até chegar ao trilho que, à partida nos levaria à calçada que procurávamos. Desceu-se a boa velocidade, até que a determinado momento decidimos abrandar e apreciar a paisagem, afinal aquela era uma zona nova para nós…até que chegámos!


Fantástica esta calçada! Larga, muito bem conservada com pedras(molhadas) que nos obrigava a atenção redobrada. Parámos várias vezes para umas fotos até que chegámos às imediações da ponte e aí vimos um marco com umas inscrições que praticamente estavam ilegíveis, ao atravessar a ponte encontrámos um outro monumentos de uma beleza singular, presumimos que aquele seria um locar de culto dos viajantes que por ali passavam.



Subimos até à vila de Murça e nas primeiras casas parámos quando vimos um busto granítico. Estava por ali um senhor a quem demos os bons dias. Perguntámos-lhe se nos conseguia dizer o que representava aquele busto e disse-nos: “É o tio Ruca”… no imediato associamos o nome aos desenhos animados que vamos vendo em casa com as nossas pequerruchas…de facto, não tinha cabelo ou marcas do mesmo… começámos a fazer a associação do busto ao nome…entretanto o senhor soube-nos dizer que na zona daquele marco era onde se fazia o transbordo dos cavalos na altura e, ao mesmo tempo, local de confluência de outras vias romanas. A que descemos seguiria para sul/Lisboa e a outra para Vila Pouca/Braga.






Depois de uns minutos à conversa, seguimos para o cimo da calçada passando por baixo da N15 (Ainda bem que tiveram o cuidado de preservar a calçada, ao contrário de outros que se fartam de destruir património).



De Murça seguimos pela estrada nacional até à ponte. Aí tinha-se traçado no Google Earth umas variantes para não fazer asfalto mas, a coisa era com uma pendente muito azeda. Já o senhor que tinha falado connosco nos avisara…”hum aí vocês não conseguem passar, o caminho está todo tapado de giestas” de facto estava impróprio. Solução: mais uns metros de asfalto até umas curvas mais acima, até que, mais uma marcação nos convidava a sair novamente para a terra.


Assim fizemos e seguimos até à localidade de Fiolhoso sempre pelo alto da serra. Desde o Fiolhoso até casa foi um instante porque já se conheciam os trilhos que nos trouxeram a casa a horas dignas de almoço….a família aguardava-nos, pelo que, tivemos de fazer os últimos kms de asfalto para que ninguém esperasse por nós, senão corria-se o risco de numa próxima investida nos limitarem o tempo de pedalada….eheheheh
Devemos voltar com o tempo mais seco, com umas variantes interessantes que nos retirarão algum do asfalto que fizemos.
Valeu pelo que vimos, ouvimos e desfrutámos.




Mais imagens do percurso AQUI

Boas pedaladas!
 
#29
Boas,

Tive recentemente conhecimento de um evento de BTT por essas paragens (organização, Moto Clube do Corgo, Vila Pouca de Aguiar). Creio que faz parte do campeonato regional de maratonas de Vila Real. Será uma boa forma de conhecer alguns dos vossos trilhos. :)

Muito obrigado pela partilha dessas excelentes fotos.
 
#31
Boas pessoal, ja tenho vontade de voltar ai a pedalar com voces... trilhos fantasticos e serras bem compridas para pedalar. Eu vou voltar ai, saio de leiria e vou levar gente comigo e vamos ai...
 
#32
Ora viva!
Após algum tempo, cá estamos de volta a "ressuscitar" o tópico dos nossos passeios, desta vez com um video, que por mera coincidência foi feito em parte do percurso do ultimo relato aqui colocado.

Boas pedaladas!

[video=youtube;OOEqcysP6cc]http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=OOEqcysP6cc[/video]​
 
#37
Boas,

Obrigado. Um sábado destes marca-se uma voltinha para conhecer de perto esses trilhos. Como vivo próximo do Porto, o ideal seria um sábado manhã/tarde, com paragem para apreciar a vossa gastronomia. :D

Vamos falando. ;)
 
Last edited:
#38
Boas! Aqui vai mais um vídeo da última volta.
Relato completo aqui.
Boas pedaladas.

[video=youtube;9mo4BLEp244]http://www.youtube.com/watch?v=9mo4BLEp244[/video]

(Aconselha-se o visionamento do vídeo em 720p HD)
 
Last edited:
#39
Viva! Aqui vai mais um vídeo da última volta.
Relato completo aqui
Boas pedaladas.
[video=youtube_share;vhhF8x7UKkk]http://youtu.be/vhhF8x7UKkk[/video]

(Aconselha-se o visionamento do vídeo em 720p HD)