GR22 Aldeias Históricas - Loop Norte

davidream

Well-Known Member
#1
bOAS!
Pois é, o tempo não para e a imaginação também não!:D
Ainda mal refeitos do Raid Transmontano e já estamos a preparar outra aventura.
Com o feriado de 10 de Junho á porta e a possibilidade de fazer uma ponte, decidimos fazer algo que andava á imenso tempo a pular atrás da orelha...
A GR22: Grande Rota das Aldeias Históricas de Portugal
Já existem muitos relatos na internet sobre a mesma, inclusive fazem passeios organizados usufruindo dos seus trilhos e marcações.
Da minha parte e como o tempo é limitado, andei a estudar como poderia fazer para conhecer um pouco desta parte do país, decidindo dividir o track em dois, e fazer a parte Norte, pois seria a mais facilmente acessível para nós.
Assim sendo, cortei o track e dividi desta forma:



Iniciamos em Mêda, seguindo o track até Manteigas, fim do 1º dia (marcado a 1 na foto)
No segundo dia, seguimos até Freineda local da dormida. (marcado a 2 na foto)
No 3º dia seguimos novamente o track até Mêda, terminando o Loop.
PS: Fiz pequenas alterações ao track para acomodar os locais de dormida, e na parte inicial para a saída de Meda.


As dormidas estão marcadas, os tracks carregados no GPS, GoPro carregada também, e a vontade a Top para poder embarcar em mais uma experiência!
Obviamente partilharei aqui depois o relato dos 3 dias!
Deixo também os tracks que vou usar em anexo, para poderem dar lá uma saltada. Se depois houver alguma situação que veja ser necessária indicar, altero os tracks ou pelo menos deixo aqui os avisos.

PS: Após ter sido contactado por um dos responsáveis da GR22 (a quem agradeço) verificamos que o track que utilizei como base, já está desatualizado. Na crónica em baixo, os trilhos fechados e observações da não passagem junto aos Castelos estão errados portanto!
Já atualizei o Track partilhado aqui no tópico. Assim evitam algumas das nossas "dores"! ;)
Boa GR22!!

Cumps
 

Attachments

Last edited:

Pedro Barradas

Well-Known Member
#2
Gostaria de fazer a GR22 um dia.
Estive na Serra da Estrela na semana passada, 4 dias, mas foi mais Pedestre ( GR2 e GR5- de Manteigas, este ultimo bastante difícil/ exigente, mas lindíssimo) e bike de Estrada ( 2x à torre, um dia desde Seia, outro, desde Tortosendo/Covilhã e voltar)
 

davidream

Well-Known Member
#3
Gostaria de fazer a GR22 um dia.
Estive na Serra da Estrela na semana passada, 4 dias, mas foi mais Pedestre ( GR2 e GR5- de Manteigas, este ultimo bastante difícil/ exigente, mas lindíssimo) e bike de Estrada ( 2x à torre, um dia desde Seia, outro, desde Tortosendo/Covilhã e voltar)
Sem dúvida, é uma zona que merece ser explorada! (e dura qb!:p)
Este ano parece que os governos vão pedir ás pessoas que façam as suas férias nos seus países, nós por cá temos muito para explorar ;)
" Ir é o melhor caminho!!"
 

Nande

Well-Known Member
#4
A GR22 deve ser brutal!!
Também gostaria de a fazer, provavelmente nessa vertente que vais fazer, um loop cada vez.
Fico à espera do relato - tenho um gpx da rota toda. Presumo que tenhas usado o track oficial e seleccionaste apenas o loop do norte, certo?
 
#5
Boas davidream,.
Vocês vão começar amanha em Mêda, certo? Local de partida e a que horas?
Pelo que vejo no vosso track, vocês não vão fazer parte do percurso de Marialva propositadamente?
 

davidream

Well-Known Member
#6
bOAS!
Nande,obrigado pelo comentário, e sim vamos fazer apenas a parte norte. cortei do track oficial e fiz pequenos ajustes.
devil_eagle vamos sair amanhã bem cedo para Meda, a ideia é sair ás 7:30 +- junto das piscinas municipais em Meda, portanto 11/6/2021 ás 7:30.
Sim, cortei essa parte para facilitar a saída e final do track, ligando a Meda como ponto de paragem do carro. Nem sei se faz sentido, mas na altura foi o que me ocorreu. Se poderes aparece seria um prazer conhecer-te!;)

Entretanto a acabar de preparar toda a logística :D





Cumps!
 
Last edited:
#7
Daviddream infelizmente amanhã não posso, alguém tem que trabalhar neste país para outros poderem fazer pontes :p
Mas no domingo provavelmente até dá para vos acompanhar na parte final.
Acho que deveriam também passar por Marialva, aquele castelo vale mesmo a pena ;)
 

davidream

Well-Known Member
#8
bOAS!
Com a aventura concluída ontem, ainda está tudo demasiado fresco para ser assimilado na devida forma :)
Mas nada como começar pelo fim!
O planeamento tinha sido já descrito no 1º Post, com a indicação dos Km's a acumulado diários.
Na realidade acabou por dar isto:



Apesar dos nºs não indicarem nada de especial deixem que vos diga, a GR22 é dura!!! muito dura o_O
Tivemos muitos Km's sem abastecimentos líquidos, sobre um calor abrasador tão típico daquelas zonas do interior... Algumas zonas já tapadas pela vegetação e ainda pior, outras já fechadas com sebes e redes por particulares :mad:
O primeiro dia foi logo para gastar as fichas todas , com uma subida infernal na Estrela, á cota dos 1600 que limpou logo todas as energias que levava-mos!
Os outros dias seja pelo calor, seja pela falta de abastecimentos ou pelo acumular de cansaço, também não foram nada fáceis!
Acabamos em Mêda no Domingo, numa subida em estrada de 8Km's a dar o máximo que tinha-mos...ficou lá a alma e espírito! pois o corpo esse já tinha ido á muito!:eek:
Enfim mais uma GR que nos tirou do corpo! Mas que sinceramente, agora em frente ao teclado já só me causa um sorriso :D
Mais á frente partilharei o que passamos em cada dia!


OBS: Queria deixar também um agradecimento especial ao membro devil_eagle que fez questão de nos encontrar e pedalar a parte final da GR22 até Mêda! Foi um prazer ;)
 
Last edited:

davidream

Well-Known Member
#9
GR22 Loop Norte 1º Dia
Mêda-Manteigas


No dia 11/6/2021 ás 7H30 estávamos a sair com as Bikes bem carregadas de Mêda para apanhar a GR22 uns Km's á frente.
A minha ideia em começar/acabar aqui o Loop Norte da GR22, era que Mêda seria o local com as melhores condições logísticas e mais próximo para nós saindo de Amarante.
Poderíamos ter um início/fim em estrada, o que ajuda sempre nestas coisas e assim facilitava a vida a estes incautos ciclistas.
Ainda não sabíamos, mas começou logo aqui um erro que pagaríamos caro no último dia!
Isto porque , começando a manhã, que estava fresca e agradável, seguimos por estrada aquecendo bem as pernas mas a ter a perceção que estávamos numa cota alta e no último dia a chegada seria a subir...e bem! Enfim, lá se veria nessa altura.

Estando com a adrenalina em alta por estar a começar esta GR, os Km's foram passando rápido, e logo apareceu uma viragem á direita para sair do alcatrão e apanhar as primeiras placas de PR/GR dando oficialmente início á aventura!
Trilhos rolantes e bem marcados, algumas zonas florestais e rapidamente chegamos a Trancoso, com as primeiras muralhas a receberem-nos assim como uma feira local em plena atividade. Com o COVID, quase me tinha esquecido destas pequenas aglomerações! Mas aqui tudo estava bem marcado com a obrigatoriedade de máscara, etc.


Seguimos a bom ritmo, mas eu e o meu colega estávamos a estranhar a rapidez dos Km's e o pouco acumulado! já se estava mesmo a ver um fim de dia digamos...trabalhoso!!o_O
Lá seguimos subindo finalmente um pouco, apanhando as montanhas á nossa frente, mas rapidamente começamos a descer um vale, com um trilho que seria uma delícia numa suspensão total(como a que o meu colega tinha) mas eu na minha mula purpura e rígida andava sempre agarrado aos travões!:eek: não queria estragar logo aqui a GR, portanto juízo e atenção em todas as ações ;)



Na Aldeia Nova já no fim do vale, apanhamos um grupo de 5 aventureiros como nós, procuravam água(o calor já apertava) e ali quase não se via vivalma. Lá lhes demos um conselho de abastecer bem líquidos antes de seguir, pois se nós vínhamos de descer e curtir já eles iam em sentido contrário...
Seguimos nós então, para mais á frente apanhar a passagem no Mondego. Curiosamente esta passagem é feita numa pequena barragem, eu com a minha falta de habilidade :mad: a passar umas pedras deixei cair a Bike! Ainda bem que tinha película de proteção, deixou logo marcas... mas enfim estas coisas até dão personalidade á bicicleta :rolleyes:
Aqui, imaginamos que esta passagem no Inverno, ou pelo menos em alturas de muita água deve ser perigosa ou impossível. Ver atrás a indicação da alternativa. Fica a dica!



Paramos á frente numa aldeia, pois o calor já fazia mossa! Abastecemos no café Almeida, onde enchemos o bucho com umas sandes, panachés e bolo de feijão!!;)
Há que seguir, pois as horas não perdoam e o calor já era abrasador!! Nos 38º
Fomos apanhando alguns trilhos com vegetação alta o que dificultava um pouco, mas nada de especial. Estava-mos a divertir-nos e isso era o principal!
Os trilhos variavam entre as propriedades agrícolas com a habitual terra trabalhada, alguns animais e mais á frente campos enormes com uma palete de castanho claro um pouco por todo o lado. Muito bonito portanto!



Já se vislumbrava Linhares, a Estrela, e cada vez mais a noção que a subida seria muito difícil!! O calor já rondava os 40º
No fundo do vale onde chegamos, havia um riacho junto a uma casa (um pouco desviado do track) um local fantástico! Tudo arranjado, arvores ordenadas e flores um pouco por todo o lado. O riacho pedia mesmo para uma paragem de descanso e refrescar do corpo. Assim fizemos.



Voltando de novo ao track, as subidas apertavam, e nisto apareceu a calçada Romana antes de Linhares.
Eu adoro estas calçadas! pela técnica que obrigam mas também pela exigência física, o problema é que em aventuras destas convém poupar sempre a energia e não atacar as coisas como se fosse um sprint para a meta... mas a minha obstinação em tentar, levou a melhor e lá fui batalhando calçada acima, pausando nas poucas sombras que se encontrava!
Chegamos finalmente ao Castelo de Linhares, onde uma paragem para abastecer e lavar a cara era fundamental!!




Assim lá tomamos mais um panaché e umas sandes para repor energias!!
O gráfico no GPS mostrava que á frente a coisa ficava brava... mas neste momento só dava para desfrutar de um pouco da pausa e do descanso.
Entretanto lá seguimos, a subir obviamente, com trilhos empedrados e duros. Mas logo á frente começamos a descer até ao fundo do vale onde percebemos que íamos voltar a subir até ao topo da montanha em frente. Que sensação estranha, estar a descer muito e olhar para a frente a ver onde vamos levar uma marretada!! Era apenas o começo do nosso calvário.
Chegar até as Minas no meio da serra foi um castigo e esforço enorme!! E já vos tinha dito que estavam 39º...
Uma coisa me ficou desta subida toda!
Já bem lá em cima esta paisagem de cortar a respiração!!



A custo lá seguimos, e no fim desta parte quase como recompensa apanhamos um tanque lá no topo, com uma agua fresquinha!! que deu para arrefecer os corpos já desgastados e assados de toda esta GR!!
O problema é que ainda faltava muito até Manteigas....



Lá no topo (ou pelo menos era o que eu pensava) tudo magnífico!
Apanhamos mais á frente um baloiço :rolleyes: (muito na moda nesta altura...) vistas lindíssimas, e apesar de se começar a ouvir a trovoada lá ao fundo e nuvens escuras, a sensação que o pior já tinha passado dava-nos paz e algum conforto! Os corpos já estavam depauperados...

O problema foi que a seguir a chegar-mos á estrada(que na minha cabeça levava direto a Manteigas) mal descemos um pouco o GPS avisa para seguir á esquerda!! "Á esquerda penso eu!!?" e o meu colega que conhecia aquela zona...disse: "Credo!!!" isto é uma rampa de pelo menos 10Km's até ao topo da montanha que até a descer é difícil que fará a subir... ele ficou logo de poucas palavras e eu assustado :rolleyes: dali subíamos até uma cota dos 1600 o_O
Mas, com um Bollycao no bucho fiz-me ao trilho desafiante e ingénuo com a minha mula munida de pneus 2.4.
Meti um ritmo lento mas certo, e pensei "ai é isto que queres!!" aqui vai!
Obstinado sabia que gastaria as minhas fichas logo no 1º dia (erro crasso) mas não iria baixar a cara á luta!







A chegada lá em cima foi um quase desmaiar acompanhado de sensação de vitória!! Para trás era cada rampa...
O que vale é que depois de recuperar o fôlego olhando em volta tudo era... majestoso!!
Descansamos um bocado, um torrão para meter energia e lá seguimos com uma paisagem fantástica ao nosso alcance!!
Descemos um pouco, voltamos a subir em estradão com cascalho e apanhamos uma casa abandonada que agora apenas servia de refúgio ás cabras e cães que as guardavam. O grande veio junto a nós rosnar grosso, o mais pequeno andava aos tombos e apenas queria carícias.
Voltamos a seguir com cuidado e começamos a descer até uma estrada que nos levou a um abastecimento delicioso!! quer pelo local onde estava situado (parecia um quadro pintado aquela paisagem!) pelo momento (estávamos exaustos) quer pela "refeição" um pão enorme de queijo da serra com presunto que apesar do seu tamanho desapareceu num instante!! Pena não haver mais...:confused:



O meu colega já conhecia o local de aventuras anteriores, é um pequeno estabelecimento que os ciclistas e frequentadores da serra conhecem bem!! assim como a famosa sandes ;)




Lá seguimos por estrada até á lagoa, onde mais uma vez o GPS nos pregou uma partida, mandando virar á esquerda serra acima num pequeno trilho com vegetação alta...o_O



A trovoada e pequenas pingas já se faziam notar, decidimos após uns metros do trilho, voltar atrás e fazer por estrada pois naquele momento e hora não podia-mos nos dar ao luxo de perder tempo em locais de difícil progressão. O corpo já não tinha energia para isso também...
Uns 3 Km's á frente apanhamos o track novamente e seguimos já com pingas a cair e a pressa de começar a descer para Manteigas!
Aqui decidimos seguir sempre por estrada, pois os PR que eram mais diretos do track (em vez do zigue-zague da estrada) não inspiravam confiança de estarem bem limpos, portanto siga a todo o vapor até lá em baixo.
Demorou bastante pois apesar de ser a descer, o vento contra não deixava ganhar muita velocidade e as nuvens escuras já nos envolviam.
Finalmente chegamos a Manteigas, junto ao local da dormida!! Mesmo no momento de começar a chover.
Com as pernas e corpo desgastados mas o alivio de ter acabado o dia.
Foi guardar as Bikes, tomar banho e esperar a chegada de um colega que sendo de perto teve a gentileza de vir jantar com a gente.
Que 1º dia!!
Fomos descansar cedo, pois ainda havia muita GR22 para fazer e o corpo já pedia repouso.
Foram os 2600D+ mais difíceis da minha vida o_O

Video do 1º Dia:

 
Last edited:

davidream

Well-Known Member
#10
GR22 Loop Norte 2º Dia
Manteigas-Freineda


Apesar do sono reparador, custou sair da cama esta vez o_O
O dia anterior tinha sido duro, e tudo era agora feito em ritmo lento. Eram 7:15, estávamos a vestir e preparar tudo novamente.
Um pó talco nas partes moles, alguns comentários mentirosos de como estava fresco como uma alface e com pernas para subir aos Alpes! E atacamos forte num excelente pequeno-almoço que tinha sido feito pela nossa anfitriã. Leite com café, Iogurte, bananas, sandes de queijo com marmelada, sumo de laranja natural, uns bolos de maçã...enfim miminhos para dois "cavalos" cansados...:p
Assim, bem nutridos lá saímos para iniciar o 2º dia da GR!
A manhã estava mais fechada e fresca, ma excelente para fazer Btt.



Sabíamos de antemão que a parte inicial, tal como no 1º dia era muita estrada, no entanto era óptimo para as pernas voltarem a funcionar devidamente e os rabos se habituarem ao Selim.
E assim foi, apanhamos uns Km's á frente as placas da Rota do Zêzere (que já experienciei há uns bons anos atrás) fui partilhando as lembranças com o meu colega sobre esses tempos.
A mochila pesada (como já devem ter visto em foto anteriores) do meu parceiro, estava a fazer alguma mossa :rolleyes: e o Selim com um ângulo demasiado negativo na BMC dele causavam desconforto. Foi necessária uma paragem num descampado para os devidos ajustes, mas temia que mais tarde se fosse pagar estas incongruências... e assim seria.
Para já os Km's iam avançando sem grande dificuldade e chegamos ao primeiro ponto do dia. Belmonte. Estranhamente no nosso track a GR22 passava sem visitar o Castelo, decidimos fazer o desvio para a devida visita e paragem num café.


Com algum calor a aparecer, fizemos a paragem para abastecer, rever os planos de ataque para o dia e rever as sensações do corpo.
Aproveitei aqui para umas fotos com estes curiosos amigos.



Seguimos então que se fazia tarde.
Os trilhos eram de fácil progressão, zonas agrícolas mas nada de complicado. Infelizmente aqui numa ultrapassagem a um obstáculo arranjei a cair para o lado, pois não consegui tirar o pé do pedal...o_O:mad: Marcas num joelho e algum sangue... Como costuma dizer o meu pai na sua sapiência: "é a arte a entrar" :oops:

Passamos a linha de comboio, e a seguir os trilhos mudam. Dá ideia de uma zona mais remota, outras cores, campos mais agrestes. Mas os trilhos são divertidos de fazer, passamos uma zona de água através de umas poldras e voltamos aos trilhos agora diferentes.
Infelizmente á frente uns Km's, as coisas começam a ficar mais apertadas. A vegetação é alta e vai piorando, até chegar ao ponto que o trilho fecha completamente e é necessário recorrer ao desbravar de mato para avançar, apeados.
Lá saímos finalmente deste imbróglio, e voltamos a apanhar estradas pequenas entre campos agrícolas.
Aqui apanhamos uma das paisagens mais bonitas de todo o dia!!!



Entramos depois disto numa zona de estrada, e fazemos alguns Km's em alcatrão. O calor já aperta e o dia ia avançando.
O que valia é que a paisagem em nosso redor era fantástica!!





Fomos seguindo, apanhando entretanto uma saída de estrada que nos mandava para um trilho fechado por um particular:mad:, a sorte era que havia ao lado outro trilho que nesse exacto momento estava a ser usado por jipes em descida apertada e que nos obrigou a esperar uns minutos.
Foi uma ótima desculpa para comer mais uns frutos secos e meter conversa com o adidos do TT.
Quando eles passaram, coube-nos seguir! Subindo um trilho muito inclinado!! e que era apenas o início do calvário...
O calor já apertava bastante e a inclinação era muita, mal sabia que já estávamos a subir a calçada para o Castelo de Sortelha!
Empedrado técnico, muita inclinação e a minha rígida a trepar o impossível graças a uns pneus 2.4 que tinham tração em todo o lado!:D
Mas as pernas é que pagavam a faturao_O e o corpo transpirava abundantemente!
A chegada lá em cima foi recompensada com um novo Castelo e vistas fantásticas!





Aqui após uma pausa, fomos abordados por um Sr. que muito curioso com o nosso aparato nos perguntou se estávamos a fazer a GR22?
Respondemos que sim, e ele cheio de interesse comentou que estava a tentar organizar um passeio com um grupo de pessoas aproveitando a GR. A ideia deles era fazer caminhadas e ligar os Castelos.
Estava naquele momento a fazer um reconhecimento a Sortelha, mas andava a ver as várias opções da GR.
Ora bem, se para nós em Bicicleta ligar os Castelos estava a ser extremamente duro e com locais de difícil passagem...imagino a pé!
Passamos essa ideia, e ele agradeceu a gentileza.
Ao avançar então, falamos que o ideal era fazer uma refeição. No dia anterior apenas tinha-mos jantado, não era boa ideia andar novamente só á base de sandes.
Saímos do Castelo, mas á frente não encontramos nada aberto...lá continuamos a GR por entre estrada e alguns trilhos, na expectativa.
Como nada ia aparecendo, fizemos uma paragem á sombra, e comemos mais uma vez... sandes.
Após esta merecida pausa, seguimos novamente por estrada, bastante por sinal!
Estava já muito calor, e o ritmo era mais baixo. Gastar pouca energia era fundamental.
Finalmente após vários Km's de estrada encontramos um café aberto!!
Paragem para um panaché e, tendo eu pedido uns tremoços para acompanhar, a srª não tinha:rolleyes: disse que tinha "torresmos"
Nunca tinha comido, portanto vamos lá experimentar!



Que sabor horrível!!!o_O
Perdoem-me os amantes de tal iguaria...mas aquilo não valia nada! Um gosto terrível, que nem a cerveja tirava da boca :confused:
Ficou tudo no prato.
Enfim, voltar á mochila e mais uma sandes para animar o espírito.
Seguimos novamente por estrada até chegar ao Sabugal.



Aqui o nosso track voltava a não passar no Castelo, mas fizemos o desvio.
Curiosamente quem fomos apanhar outra vez!? o tal Sr. de Sortelha, que andava desta feita a reconhecer o Castelo.
O nosso feedback voltou a ser negativo...nem pensar em fazer caminhadas até ao Castelo anterior via GR22! Nós quase só tinha-mos feito estrada!
Ele agradeceu e seguiu caminho.
Nós também, entretanto comentei com o meu colega que já tinha passado duas vezes neste Castelo na GR de Foz Côa
Entretanto finalmente apanhamos trilhos, e seguimos a fugir do calor.
Agora com tudo novamente interessante a coisa foi seguindo, mas estava muito quente e o corpo desvanecia aos pouquinhos.
Era fundamental ir gerindo bem e refrescar a cada momento que podíamos, fazendo paragens aqui e ali.



Vamos seguindo num ritmo calmo mas certo, até chegar a Soito onde fazemos nova paragem para uma sandes de presunto e queijo! que levantou o espírito:D mais um panaché no bucho e para finalizar, um gelado!

 
Last edited:

davidream

Well-Known Member
#11
Continuação do 2º Dia


Seguimos agora um bocado melhor!
Apanhamos á frente um local muito bonito com um lago, e já no horizonte as ruínas do Castelo de Alfaiate.
Curiosamente aqui ao chegar mais perto, apanhamos um grupo de caminhantes que o meu colega reconheceu como sendo malta da sua terra!
Paramos para uma conversa animada e troca de experiências!
Deu para descansar mais um bocado e seguir alegres com aquele encontro!
O problema é que apanhamos vários Km's sem qualquer ponto de água, o calor como sempre abrasador, e apesar dos nossos esforços os Km's não rendiam.
Numa exploração o meu colega parou já em exaustão e abriu uma cerca para ir buscar água num ponto que me inspirou pouca confiança, aquilo era para uso agrícola... eu preferi gastar o resto das gotas quentes do meu bidon. Mais á frente ele comentou que a água sabia mal, mas nem quisemos perder muito tempo com esses pensamentos!
Finalmente aparece uma aldeia que tinha pinta de ter um café!! Assim foi:D
Paramos para comprar água fresca, lavar a cara e corpo no lavatório no WC do estabelecimento, e beber 2 canecas de panaché! Que dada a exaustão subiu logo á cabeça!o_O
Ao menos deu tempo para pausar e recuperar um pouco!!
Após não sei quanto tempo...seguimos caminho.

Os trilhos até á aldeia seguinte (Malhada Sorda) eram interessantes e nesta altura já havia de novo alguma capacidade de "absorver" a nossa envolvência.
Mas continuava muito calor, apesar de dar para perceber que ao longe havia alguns ruídos de trovoada e nuvens escuras a formarem-se.
Chegados á aldeia, nova paragem. Encher o bidon e analisar o que faltava.
E ainda faltava um bocado para ir dar á aldeia de Freineda (um pequeno desvio á nossa frente) portanto siga para acabar o dia.
Começamos a descer um bom bocado, logo a seguir nova subida, e o GPS manda para a direita para um trilho apertado com vegetação alta a fechar a passagem assim como uma rede que alguém lá tinha colocado...
Bolas...será que a GR não nos daria algum descanso! mesmo no fim do dia!o_O
Verificando no GPS, percebemos que a única forma seria voltar atrás até á aldeia e aí seguir por estrada até Freineda.
O problema é que tinha-mos descido um bom bocado...
Percebo neste momento que o tlm dá sinal de mensagem. Que boa desculpa para parar um bocadinho.
Era o devil_eagle daqui do Fórum, que me estava a contactar.

Faço aqui um pequeno desvio, para dar um pouco de contexto desta situação.

Quando fiz aqui o primeiro Post desta Crónica, a indicar os percursos que iriamos fazer (com inicio/fim em Mêda) o devil_eagle sendo um local, decidiu contactar-me a dizer que tinha disponibilidade para fazer um bocado da GR com a gente.
Estava portanto a tentar saber o ponto da nossa situação, para combinarmos a empreitada!
Referi-lhe que estava a "tentar" acabar o dia! estava na altura aqui:



Combinei depois do jantar, voltar a falar com ele e vermos a melhor maneira para rodarmos juntos no último dia.
Nesta altura sinceramente estava mais preocupado em sair daqui! Pois a trovoada já estava a rondar novamente com algumas pingas, e as pernas já não tinham quase nada...
Lá subimos novamente até Malhada Sorda e apanhamos a estrada, já com um ambiente algo macabro!!
Vento forte, o céu a ficar escuro e algumas gotas a cair.

Alguns Km's de estrada e finalmente atingimos o nosso destino!!
Repetindo o mesmo do dia anterior, no momento em que chegamos á porta do alojamento a chuva decide cair!



Apesar de alguma confusão com o Booking, lá arranjamos ninho! Mas com a indicação terrível que na aldeia não havia onde jantar... os cafés apenas tinham pequenas coisas e fechavam relativamente cedoo_O

Se havia coisa que era necessário era uma alimentação boa... foi tudo por agua abaixo!

Enquanto o meu colega foi tomar banho, fui apressadamente ao café comprar o possível.
A Srª lá me arranjou o pão que havia, queijo, chouriço, junto com água e sumos mais umas batatas fritas para repor sais.
Mais uma refeição de recurso :(

Com sorte e pena por parte da Srª que nos acolheu no alojamento, depois dos banhos, na mesa de jantar ela tinha arranjado algum pão extra, marmelada e doce caseiros, junto com fiambre e queijo. Lá fizemos a refeição possível com muita conversa á mistura.
Ficamos sempre a conhecer novas histórias de vida (algumas bem difíceis) e partilhamos as nossas. Para mim é parte fundamental destas nossas aventuras!
Seguiu-se um salto rápido até ao café (enquanto estava aberto), para um descafeinado e mais algumas compras.
Agora a chuva tinha parado, mas estava na mesma muito calor! Não sabia o que teríamos no último dia, mas enfim, preocupações para outra altura!
Xixi-Cama, e tentar descansar, que amanhã era outro dia. Entretanto lá combinei com o devil_eagle o encontro no dia seguinte, seria em Figueira de Castelo Rodrigo.

Mas essa história fica para a crónica do dia seguinte!


Video do 2º Dia:

 
Last edited:
#12
Boas maltinha,

Primeiro de tudo, embora venha ao fórum praticamente todos os dias, não comento muito, é mais numa missão de vigilância :)
Sinceramente nunca pensei ter direito a qualquer tipo de observação neste fórum, mas até nem foi má de todo davidream.
É sempre bom encontrar novos malucos que nos fazem pensar "afinal não sou o único", "ainda há bem pior...". Além disto, dá sempre para tirar novas ideias para futuros projetos.
Por isso não é necessário qualquer agradecimento, mas uma voltita pelos lados de Amarante nem seria má ideia ;)

Boas pedaladas para todos e quando se lembrarem de fazer o GR22 apitem.
 

davidream

Well-Known Member
#13
bOAS!!
Hehe de facto todos padecemos da mesma doença!! :D mas curiosamente esta, cura-nos o corpo e a alma!
Mêda é fodi#$o segundo ouvi dizer :D:po_O portanto não sei se terei parceiros para me acompanhar, mas enquanto isso o Verão está aí, e estarás sempre convidado á "minha" parte de Portugal!
Um abraço!!
 

davidream

Well-Known Member
#14
GR22 Loop Norte 3º Dia
Freineda-Mêda


Ora após uma noite +- bem dormida (choveu bastante nessa noite, a trovoada sempre arranjou a alcançar-nos após estes 2 dias) lá chegou o momento de arranjar as coisas uma última vez.
Os movimentos são +- os mesmos que na manhã anterior, arrumar a roupa, os cremes, a preparação das Bikes e finalmente o pequeno-almoço!
Estava á nossa espera +- ás 7h15 a Srª do alojamento(tinha sido a hora combinada no dia anterior) com uma mesa bem farta.
Aqui, como em Manteigas o pequeno-almoço deu para tirar a barriga de misérias!
Lá seguimos então, para iniciar a última estirada desta nossa GR22.
A manhã estava fresca e com sinais da chuva no terreno. Mas sinceramente eram as melhores condições que poderíamos pedir! Não havia charcos nem lama, e o terreno estava bem compactado.
Logo á saída da aldeia apanhamos estes amigos!! Que sem tiques de vedetismo, se aprontaram a tirar uma foto com os ciclistas!



Seguimos então, em trilhos que são muito típicos desta zona. Quem já andou pelo Côa sabe ao que me refiro, há qualquer coisa especial nesta região.
Descemos até á primeira dificuldade da manhã! A 1ª travessia do Côa.
Uma pequena passagem de pedra, que estava molhada das chuvas (parecia vidro!!!que perigo!) e logo a seguir umas poldras que além de difíceis de ultrapassar eram também elas perigosas. Nada como começar a manhã alerta!:eek:



Ora se estávamos junto ao rio, cabia agora subir até ao 1º ponto de interesse da manhã: Castelo Mendo.
Ao contrário dos outros dias, em que começamos por estrada para poder aquecer, aqui já se estava a subir um trilho bonito mas íngreme!
O meu colega, já a sentir o desgaste de todos estes dias com uma mochila extremamente pesada ás costas, abordou a subida lentamente.
Lá se tirou a foto da praxe e continuamos a subir, até ao topo do planalto, para agora começar a fazer trilhos em direção a Almeida.(Que já se via no horizonte)
Agora fazia-mos a bom ritmo zonas rápidas e sem dificuldades. Uma zona lindíssima de campos largos até onde os olhos alcançam.
Um pouco de estrada e descemos até novamente atravessar uma ponte sobre o Côa. A seguir mais uma prenda! Uma subida até Almeida durinha e constante! O meu colega continuava lento e seguro a abordar estas dificuldades ( o rabo já se queixava do tratamento destes 3 dias!!:confused:)
Em Almeida fizemos uma espécie de 2º pequeno almoço e após algum descanso seguimos junto ás muralhas da cidade. Muito bonita por sinal!!



A seguir a alguns Km's, a primeira bulha no terreno!
Apesar dos trilhos serem +- planos através de zonas agrícolas, a falta de manutenção e limpeza fazia com que a erva alta dificultasse imenso a progressão, ficando agarrada na cassete e desviador obrigava a uma atenção redobrada e paragem para limpezas!
Perdemos bastante tempo aqui, mas mais valia avançar com cuidado. Um desviador partido significava o fim da GR:confused:
Saindo desta parte, voltamos novamente a fazer trilhos interessantes, passando pela aldeia de Malpartida onde enchemos o Bidon.
Continuamos, apanhando algum terreno com lama e vegetação mais molhada mas em bom ritmo pois a perca de tempo lá atrás obrigava a ganhar Km's.
Trilhos sempre interessantes á nossa volta.



Aqui já pensava quando é que o devil_eagle daria sinal, pois tinha saído de Mêda ás 8:30 :D



e de facto não demorou muito!
Uns Km's á frente apercebo-me do tlm dar sinal de mensagem. Era ele a dizer que estava em Castelo Rodrigo.
Respondi que estávamos +- a 10Km's, pelo menos era o que eu pensava, na realidade ainda nos faltava á volta de 18Km...:rolleyes:
Lá seguimos animados com a notícia.
Chegados finalmente mais perto de Castelo Rodrigo, já se via lá á frente o Castelo, os trilhos ficam muito interessantes!
Alguns singles e zonas bonitas até á aldeia de Mata de Lobos. Paragem novamente para encher o Bidon.
Avançamos outra vez até que um pouco á frente finalmente apanhamos o nosso companheiro daqui do Fórum!
Vinha numa Canyon já bem marcada pelo terreno :D e contente também por nos ter encontrado.



De conversa fácil, rapidamente estávamos a rir e partilhar experiências! Que maravilha de acréscimo a estes 2 cavalos cansados, para terminar a GR22!!
Chegamos ao Castelo na perspetiva de parar e almoçar, mas ali pouco havia:confused: decidimos fazer o desvio e ir procurar um restaurante em Figueira de Castelo Rodrigo. Assim partilhava-mos mais um bocado de tempo, e repunha-se a bem necessária energia para o que vinha á frente.
Ainda no Castelo:



Ainda bem que o fizemos!!
Num Restaurante local, na cidade, comemos um belo de um Bife grelhado acompanhado de umas Batatas fritas com orégãos :p
Curiosamente nesta altura, apesar do muito calor chovia um pouco! mas até era bom assim!!
O tempo aqui passou sem darmos conta!! a conversa era boa, assim como o repasto!
 
Last edited:

davidream

Well-Known Member
#15
Continuação do 3º Dia

Já um bocado tarde, lá saímos do restaurante para voltar a apanhar a GR lá á frente.
Fazia muito calor!! a pouca chuva tinha parado e o corpo parecia recusar voltar ao ritmo...
Mas tinha que ser, e aos poucos começamos a fazer os Km's que faltavam. A seguir ao Castelo, os trilhos são interessantes. Um misto de zonas com pedras, trilhos agrícolas, e um pouco de estrada também. As ligações entre todos vão-se fazendo.



A conversa está animada, e vamos disfarçando o cansaço desta forma!
Um bom bocado mais á frente começamos a descer por estrada, numa zona que me era familiar.
Já aqui tinha estado na GR de Foz Côa.
A entrada para a Reserva da Faia Brava não deixava dúvidas!



logo a seguir ao fundo, a ponte novamente sobre o Côa! Uma zona que reconhecia das aventuras anteriores!!Quem esqueceria este lugar...





Agora teríamos que subir até Cidadelhe!
Restava olhar para o Céu! segundo alguns ajuda! ;)
A meio da subida o nosso track da GR22 manda seguir á direita, mas o devil_eagle conhecendo o PR desaconselhou vivamente!
Acabamos por seguir por estrada, pois nesta altura com o desgaste acumulado não dava para fazer um PR de progressão hercúlea...apeados.
Lá em cima em Cidadelhe, paragem para mais um Panaché e algum descanso!!
Seguimos novamente para apanhar a GR logo á frente. Agora fazemos trilhos top num sobre e desce constante e divertido. Até que voltamos a apanhar uma secção de estrada, que nos trás vistas fantásticas.
Temos conversa agradável, e o desfrutar é imenso!!



Mais uma saída á direita, e o trilho começa a descer. A zona aqui é técnica e cheia de pedras, o devil_eagle vai na sua rígida soltinho! Nota-se que está no seu elemento! Eu vou com a minha mula carregada, a tentar seguir e não estragar os cromados!
Lá em baixo mais uma passagem manhosa numas poldras, e os meus colegas passam diretos pela água! (Talvez para refrescar os pneus!?)
A subida a seguir é num empedrado duro e técnico! o calor não ajuda. Mas lá vamos nós o_O



Lá chegamos ao topo. A seguir, os trilhos pelas aldeias variam entre a estrada rural e pequenos caminhos.
Passamos a aldeia de Juizo e a seguir Gateira.
Após esta última aldeia a zona começa a abrir em bonitas planícies e lá ao fundo o Castelo de Marialva!
Era só controlar o cansaço e absorver o ambiente!



Muitos trilhos por todo o lado, e nós a serpentear os caminhos numa zona que merece ser explorada!
Entretanto lá chegamos á parte que nos separa da GR22. Esta segue para o Castelo de Marialva, mas nós seguimos por estrada até Mêda.
O devil_eagle comenta que a GR vai para o Castelo por uma parte particularmente técnica e difícil! Mas aquilo já não era para nós, o dia já ia longo, e as forças já o não permitiam.
O meu colega ao chegar á estrada exclamou que já ia no limite do suportável! O rabo e o selim estavam numa bulha em que obviamente ele estava a perder... Aquela mochila enorme e pesada também não ajudavam!
Supostamente os 8 Km's que faltava por estrada seriam um merecido descanso...mas nada de mais errado!!
A estrada começou a inclinar bastantemente!:rolleyes: com o vento forte da trovoada que se formava no horizonte a contrariar o nosso movimento!
Parecia que os elementos não nos iam deixar acabar a GR22 sem um pouco mais de luta!
Fomos a subir em ritmo lento, mas mesmo assim no limite! o meu colega parou uma ou outra vez, imagino a enorme vontade de desistir.. mas sendo um duro lá foi lutando com as forças que só ele sabe onde as foi buscar, notava na cara dele o esforço de outro mundo que estava a fazer. Tenho muito respeito por estes momentos, em que não tens mais nada para dar a não ser a tua alma! e é essa força que te faz mover...

Lá chegamos ao carro!! Com aquele alívio que só quem anda nestas lutas sabe!




Deixamos algumas coisas no carro, e fomos fazer a despedida da GR22 e do devil_eagle com um bem merecido gelado!!
A trovoada também andava por lá, foi uma fiel companheira toda esta GR!
Que luta e que 3 dias... Mas espero ter partilhado com vocês a nossa aventura de uma forma que vos crie desassossego!
Ir é sempre o melhor remédio!
Até um dia destes, aí pelos trilhos ;)

Video do 3º Dia:
 
Last edited:
#16
"Continuação de um 4º Dia

Só para contextualizar, apesar de 3 dias de um GR22 intenso e duro, chegámos a Amarante com um sabor agridoce. Pois estávamos cientes que algo nos atormentava, neste momento, para nós não era aceitável não termos visitado O Castelo, Marialva tinha-nos escapado. No entanto, a lacuna necessitava ser preenchida..."

Castelo-de-Marialva-e1485338003454-1030x458.jpg

davidream, imperdoável :D
 

davidream

Well-Known Member
#18
bOAS!!!
heheh, agora aqui no teclado ia aí na boa :p
De facto percebo que será dos Castelo mais bonitos, mas temos que saber contar as balas a cada momento e respeitar uma regra inabalável: "começamos juntos, acabamos juntos" ;)
Assim fica a necessidade de aí voltar para um passeio guiado, devil_eagle!
abraço! Espero que tenham desfrutado da crónica :)
 
#20
Grande diário! Obrigado. Está impecável.
Fiz (tentei) o mesmo, também o circulo norte, há 1 mês.
Eu foi ao contrário, sofri com o frio em Manteigas. Por outro lado, os tracks que tinha no gps não me pregaram nenhuma partida.
No entanto, não cheguei a acabar. A subida para Manteigas deu-me cabo de um joelho. Ficou na lista para repetir.

Estava a fazer Mesquitela-Belmonte-Freineda-Cidadelhe-Mesquitela. Seriam pois 4 dias. 3 dias já tem que se ser máquina!
Parabéns!