TREK REMEDY 9

#1
Bom dia.
Queria apresentar a minha nova bicicleta mas antes conto o meu percurso no ultimo ano e a razão que a qual optei pela Trek Remedy

Depois de ter abandonado a competição (DH) no ano 2000 devido a lesão dediquei me aos estudos, pois é isto que me dá o sustento. No final do curso quis dar uma prenda a mim próprio por ter terminado o curso e pensei em voltar às bicicletas mas como não conhecia ninguém que andasse virei me para o motocross. No verão passado o meu irmão insistiu comigo para comprar uma bicicleta para dar umas voltas na minha nova cidade (Portimão) e conhecer uns trilhos.

Como queria uma bicicleta barata e mais voltada para o XC comprei a Trek Fuel Ex6´07. Inicialmente estávamos a andar uma a duas vezes por semana, cerca de 20 km (semanais). Entusiasmamo-nos e começamos a andar todos os dias de manhã antes do trabalho. Gradualmente aumentamos os km´s e estamos a fazer entre 20 a 25 km estrada/terra durante a semana e aos fins-de-semana vamos dar uma volta pelo campo mas muito raramente, pois ao fim de semana opto pelo meu outro Hobbie - o motocross.

Como sou um entusiasta do motocross e antigo piloto de Downhill, o bicho dos saltos de bicicleta e umas descidas mais agressivas começou a crescer. Isto tudo aliado ao facto de começar a conhecer mais pessoas que conhecem esta zona de Portimão /Monchique a qual sou novo por estas bandas abriu o apetite para uma bicicleta mais resistente e com mais curso.

No inicio do verão vendi a minha trek Fuel e fui à procura de uma bicicleta mais apropriada ao meu estilo. Comecei a procurar uma bicicleta de Freeride com cursos de 150 a 180 mm mas os pesos eram um pouco altos e nunca menos do que 15/16 kg. Comecei a investigar um pouco em vários fóruns e reparei no conceito ALL mountain e que está a crescer devido à sua polivalência.

Numa semana normal, eu ando à 2ª e 3ª Feira em estrada e estradão cerca de 20 a 25 km, à 4ª Feira à noite faço XC (cerca de 40 km); 6ª Feira outra vez estrada e estradão (20/25 km) e ao sábado ou domingo vou para a FOIA (Monchique) e venho a curtir até Portimão. São cerca de 2 a 3 Horas a curtir e quase sempre a descer.

A futura bicicleta tinha de ter uns requisitos que tracei para o meu estilo de condução e futuros trilhos, nomeadamente os seguintes:
- Curso mínimo de 150 mm a trás e à frente
- Travões hidráulicos com diâmetro mínimo de 180/185 mm com manete ajustável
- Peso reduzido (até 15 kg)
- Posição de condução confortável, agressiva e um pouco alta
- Uma geometria de quadro com um ângulo baixo para poder baixar o banco e se tornar mais fácil de controlar de traseira, tipo ângulo de bicicletas de Freeride (não sei explicar bem)
- Suspensões que tivessem uma opção que não bombeassem para passeios de XC ou mesmo um pouco de estrada.
- Material resistente para um uso mais agressivo
- Componentes bons para não andar a trocar ou pensar em tal
- Modelo recente

Investiguei, pesquisei e escolhi umas bicicletas nomeadamente a SCOTT RANSOM 30 e a 20, SANTA CRUZ NOMAD, CONNANDALE MOTO e a TREK REMEDY 8. Literalmente coloquei lado a lado numa lista os prós e os contras de cada uma e claro o valor de cada uma. Optei por estas por serem marcas com cartas dadas no mundo do "Mountain Bike" e por ter uma excelente relação com lojas que vendem estas marcas.
Tentei andar em todas as bicicletas e principalmente andei a investigar os podres delas e saber opiniões de utilizadoras além fronteiras. Além disto estive a fazer contas ao valor das bicicletas face aos componentes que traziam para comprar a melhor relação preço qualidade.

Desta escolha optei pela TREK REMEDY 8 devido a ser um modelo recente, de ter bons componentes: FULL XT, Rock SHOX LIRIC, Bontrager e fui vê-la ao pormenor a bicicleta. Adorei-a ao lado só estava a REMEDY 7 que não tinha muita piada e futuramente iria mudar sempre qualquer coisa. Fui para casa e andei a ver mais opiniões sobre a bicicleta e deparei me com um problema: ROCK SHOX Liric partia o U-TURN (o sistema que passava de 160 para 115 mm) Mas não foi isto que chateou-me e fui à loja buscar a menina. Rumei a Lisboa (a casa) e fui comprar a menina, mas quando cheguei lá aconteceu um desastre: vi a REMEDY 9, fiquei apaixonado, sem palavras para descrever. Eu tenho uma pancada pela cor branca e quando vi a cor aliada a uns componentes brutais (FOX, SRAM X0, etc) decidi optar por esta. Arruinei a minha carteira e tive de trazer o raio da bicicleta. Vim para baixo (Algarve) a fazer contas e mais contas e fiquei com a sensação que não devia ter comprado uma bicicleta tão cara e com uns componentes XPTO´s isso tudo desapareceu quando fui dar a primeira voltinha.
Caracteristicas:

Quadro: REMEDY 9 (branco perola e preto)
Suspensão Traseira: FOX FLOAT RP 23 XV (150mm)
Rodas: Bontrager Rhythm Elite
Suspensão - FOX 36 Float RC2 (20 mm de eixo)
Travões: Avid Juice Carbone 203 mm - frente e 185 mm trás
Shifters SRAM X-0, 9 speed w/MatchMaker
Desviador Traseiro: SRAM X0
Desviador Dianteiro: Shimano XT
Corrente e cassete: SRAM PG970 11-32, 9 speed
Cramalheira: Shimano XT
Pedais: PD - 540
Resto dos Componentes: Bontrager Race LITE
Pneus: 2.35 (maxxis)

Peso: 13 kg (sem pedais)

Primeira impressão:
Acho que é uma opinião geral para afinar estas suspensões, pois parece que é preciso tirar um curso para perceber mas com paciência tentei afinar a suspensão. Claro na primeira volta a suspensão de trás estava muito mole e a da frente muito dura.
Outra coisa que notei logo que não estava bem foi a Frente da bicicleta, muito alta e tive de tirar duas anilhas para baixar a frente, parecia uma Harley. Terceiro ponto que ainda me custa a adaptar é o barulho dos travões do AVID.
Mas fiquei surpreso com a bicicleta e adaptei me rapidamente a ela. No primeiro dia ficou-me a doer as costas mas adorei a bicicleta com a forma como ela lê o terreno.

De volta a casa tempo para colocar a bicicleta a meu gosto:

1º - Baixar a Frente (só retirei uma anilha, ficando só duas)
2º - Posição das manetes
3º - Chegar o selim para a frente para pedalar mais em cima do eixo do que mais atrás
4º - Ler manual da FOX e afinar as suspensões
5º - Pressão dos pneus (muito importante)
6º - Conferir se todos os parafusos estavam apertados e lubrificar

Na segunda volta com a bicicleta as coisas mudaram radicalmente para melhor. E só apetece andar e andar de bicicleta fazendo me esquecer da mota.

Após um mês de uso e com uns quantos km´s (+/- 350 km) já tenho uma opinião dela:

Subir Terra: Não é uma XC pura a subir mas não fica atrás. A suspensão traseira no modo PRO PEDAL não bombeia nada e a roda de trás agarra-se ao chão e não o larga. Não sinto necessidade de ter o bloqueio completo da suspensão traseira e da frente, facilmente adaptei-me

Subir Estrada: Aqui nota-se a geometria do quadro em que se pedala um pouco a trás. Os pneus largos ganham muito atrito e a suspensão da frente bombeia um pouco mas pronto não se pode ter tudo. Aqui sim sinto falta do bloqueio das suspensões.

Rolar: Novamente não é uma bicicleta pura de Xc que não se perde nada no andamento mas também não noto o facto de ter 160/150 mm e rola muito bem
Descer: Não existe palavras para descrever a sensação, parece o sofá lá de casa. É incrível como é fácil de descer e passar obstáculos, a conjugação entre as suspensões e a geometria do quadro são perfeitas.

Os aspectos negativos: Travões fazem um pouco de barulhos e "tremelicam" muito e o barulho é irritante. O poder de travagem é bom e têm se um bom poder de controlo mas o barulho não me fascina. Disseram-me que era normal nas medidas grandes mas mesmo assim não gosto do barulho. Outra coisa é o guiador que devia ser um pouco mais largo mas isso pode ser ao facto de estar habituado à largura da mota de motocross.

Não esperei para comprar a de 2009 porque já a vi e esta muito mais feia. Está polida em vez de branco e os componentes são identicos porque a Remedy saiu agora no final de Junho e os componentes já são de 2009.

Futuros Upgrades:

Colocação de uma guia de corrente inferior que dê para utilizar mudanças à frente
Retirar o prato de fora e colocar um prato de protecção
Substituir os pratos de 22 e 32 para 26 e 38. Modificação feita por um user: jmrgb

Conselhos:

Comprar um par de rodas mais resistentes para um freeride mais agressivo. No outro par de rodas meter uns pneus mais finos para as voltinhas de XC.
Um Conta-Km´s e um cardio: Para ficar registado a velocidade a que se vai pois é muita e o registo da pulsação para ir vendo que não esta morto ou a sonhar.

Aqui ficam umas fotos da máquina:




























Melhores cumprimentos
 
#3
Sem duvida das mais bonitas que por aqui andam. Já tinha visto no tópico das fotos das bikes e fiquei :shocked:
Aliado a uma análise digna do nome, só espero que continues a mostrar o maquinão!

Bons trilhos :wink:
 
#7
Parabens! Essa bike é realmente um espetáculo.
Eu tb tenho uns Juicy nessa medida e os meus não fazem barulho nenhum, deves ter as pastilhas descentradas, resolver isso é muito simples tens aqui no forum a explicação de como se faz.
Essa ideia de ter 2 pares de rodas é muito boa mas acho que só faz sentido quando já se abusa mesmo muito, tipo saltos de 2 metros para cima, idas a bike parks etc, etc.
Se essa Remedy fosse minha só lhe montava uma Joplin ou equivalente.
Se andas com pessoal do XC nunca houve nenhuma subida técnica que eles tenham conseguido fazer e tu não
? Isto porque tens 160mm fixos á frente
 
#8
Obrigado pela dica. Vou já procurar o topico para ver a solução para o barulho parasita.

Em relação a subidas complicadas já fiz e a bicicleta supreendeu me. Fiz uma subida de 800/1000 metros com inclinação de 12% e andei par a par com bicicletas de XC e não ficou a trás. Mas isto tambem é devido a subir sentado e não em pé porque em pé bombeia um pouco.

Nas subidas técnicas a roda da frente cola-se ao chão e se fores num ritmo certo não bombeia nada. Claro perde para uma Xc mas não é nada de especial pois quando se sobe a seguir existe uma descida e ai alem de passar por todos ainda fico à espera :lol:.

conclusão: Perde sempre um pouco é inevitável mas depois compensa e muito porque em trilhos mais técnicos planos ou a descer ninguem te apanha-

A ideia das rodas é para um futuro proximo pois para Xc quero umas rodas mais finas tipo 2.2 ou 2.1 e para freeride meto a medida de origem 2.35

Mencionaste um "Joplin" o que é? É o espigão de selim ajustável em altura?
Ainda nao vi isso à venda em Portugal.

cumprimentos e obrigado
 
#9
Mencionaste um "Joplin" o que é? É o espigão de selim ajustável em altura?
Ainda nao vi isso à venda em Portugal.
É isso mesmo, é uma categoria! são + 300 gramas na bicicleta mas dá um jeitaço.
Eu comprei o meu pela internet, há muitas lojas que têm, senão tens sempre o Santo Ebay.

Eu falei nisso das subidas porque em algumas daquelas mesmo empinadas se for com a frente nos 160mm não consigo subir e ás vezes por a frente nos 100 ou 140mm já é o suficiente mas suponho que tenha tudo a ver com a bicicleta em si, em algumas a regulação de curso é imprescindivel, noutras nem tanto.
Se calhar é por isso que a tua a topo de gama da Remedy não monta a Talas á frente. :nsei:
 
#11
Sim fizeram um desconto mas não muito (o normal), porque este modelo saiu para portugal no mês de Junho e nos EUA em Maio ou Abril. Foi um modelo que saiu muito tarde e apresenta já componentes de 2009 como as suspensões.
A Remedy 9 de 2009 só deverá sair no proximo ano lá para Janeiro na melhor das hipoteses.

Eu preferi o modelo de 2008 pois quando sair o de 2009 que é polido vão ver o porque da minha decisão de escolher esta bicicleta.

Cumprimentos
 
#14
ngrn said:
Substituir os pratos de 22 e 32 para 26 e 38. Modificação feita por um user: jmrgb
Obrigado pela referencia, mas eu mudei para 24-36-bash. Aconselho-te a fazer mais uns quilometros para teres uma ideia precisa de quais os racios de que nao precisas e de quais nao queres abrir mao, para depois escolheres os rings certos. Poes isso numa folha de Excel e depois decides.

Por exemplo para mim 26 seria muito grande, porque ocasionalmente uso 24-32 (tenho cassete de 32 e gosto mais das relacoes no final em relacao a uma de 34). Para alem disso, encontrar bashguards para rings de 38 nao e tao facil. Com 36 e o equivalente a rolares em 44-13 o que, se tiveres uma cassete de 11-34, e o mesmo que perder apenas a ultima combinacao mais rapida.

Ja agora da uma vista de olhos a escora junto a pedaleira. No meu caso (e de muitos outros) a andar depressa por terreno manhoso a corrente vai la bater. Tenho a pintura toda raspada. A mim nao me preocupa muito, mas se pudesse ter evitado teria sido melhor. Enrolei um bocado de camara de ar naquela zona. Nao fica mal porque e como que uma extensao da protecao que ja vinha de origem.

Bem, nao paro de adicionar coisas ao post. Mais uma que me lembrei. Se estas a pensar em por um guia de corrente, aconselho-te o Blackspire Stinger. Faz o servico, e barato (pelo menos aqui sao $25) e pesa pouco (na casa dos 200g). Da para usar com 2 rings, como pensas em fazer.

Quanto as rodas, eu tenho estado a pular que me farto. Os pulos sao todos para alguma inclinacao (as vezes muita), por isso tenho dificuldade em dizer que altura tem. Mas e entre 1m e 1,5m. A roda da frente ganhou um empeno ligeiro mas foi devido a uma queda e ja dei conta dele. Agora a de tras esta pior, porque para alem de empenada a roda nao esta circular. Nao sei se foi derivado da queda, mas acho que nao. E claro que empenos ao inicio sao normais devido ao acamar da roda. Mas esta parece ser algo mais. Resumindo, se estas a pensar em rodas mais fortes para os saltos, como eu, nao fiques a espera de lixar essas. Elas aguentam alguma coisa, e ate as considero boas para o peso. Mas nao aguentam aos 10 e 15 saltos por volta como eu faco.

Assim de repente e o que me lembro. Se tiveres alguns conselhos/sugestoes para mim tambem agradeco.

Oops, lembrei-me de mais outra coisa :lol: A sugestao do Joplin e boa. Se nao fosse tao caro ja o tinha comprado. Tenho estado a andar atento nos ultimos dias a ver se ele me seria util, e acho que sim. No meu caso onde ando nao ha descidas tao longas que valha a pena parar para descer o selim e depois voltar a subi-lo para as subidas. O terreno e muito sobe e desce, e nunca passam mais de 100-200m sem ter que pedalar. Por isso costumo andar sempre com o selim a mesma altura. O problema e que e a uma altura de compromisso. Suficientemente alto para conseguir pedalar, mas longe de ser eficiente, e suficientemente baixo para ir para tras do selim facilmente, mas nos pulos nao consigo absorver bem o impacto. Nos ultimos dias tenho parado para por um pouco abaixo dessa altura para os trilhos maioritariamente a descer, mas deixando-o ainda a uma altura pedalavel, e depois subi-lo para eficiencia maxima nas subidas. E acho que vale a pena. O Joplin e optimo porque da 30mm de ajustamento e podes po-lo em qualquer altura la pelo meio. E tenho experimentado descer 30mm, e e muito. Ja nao e pedalavel nem la para ao pe. Tem-me aconselhado o Joplin com controlo remoto. Parece logico, dado que vais estar sempre a brincar com aquilo (se nao o fizeres e porque nao tens falta dele) e assim podes faze-lo sem ter que tirar uma mao do guiador.

Over and out.
 

Nozes

Active Member
#16
Grande bike,sim senhor...mas a mim parece-me que anda a ser usada mais para fazer estrada que outra coisa,ou será impressão minha??
E essa dos pulos...penso que te referes aos saltos não :?: ...era só pra confirmar :mrgreen:
Parabéns pelo maquinão,agora usa-a para o que ela foi feita,subidas e descidas no mato,esquece lá isso da estrada!

Boas pedaladas
 
#17
Estrada???

Se a ideia é tirar o prato grande e alterar um pouco os 2 que ficam e colocar um guia de corrente... achas que é para estrada????
 

Nozes

Active Member
#19
HR said:
Estrada???

Se a ideia é tirar o prato grande e alterar um pouco os 2 que ficam e colocar um guia de corrente... achas que é para estrada????
ngrn said:
Numa semana normal, eu ando à 2ª e 3ª Feira em estrada e estradão cerca de 20 a 25 km, à 4ª Feira à noite faço XC (cerca de 40 km); 6ª Feira outra vez estrada e estradão (20/25 km) e ao sábado ou domingo vou para a FOIA (Monchique) e venho a curtir até Portimão. São cerca de 2 a 3 Horas a curtir e quase sempre a descer.
Foi mesmo só por isto que mencionei que havia aqui muita estrada para uma bike destas..mas hei,hajam pernas!

Boas pedaladas