Três meses com manete na coxa!!!

#1
Não consegui ficar indiferente a uma notícia destas...

Deixo aqui para lerem...

Três meses com manete na coxa

Caiu da bicicleta e andou em médicos desde Junho com 10 cm de ferro dentro da perna
Um adolescente de Amares, estudante na escola secundária local, teve, durante três meses, a manete do travão da bicicleta enfiado numa coxa. Fez exames, foi visto por médicos e enfermeiros mas ninguém viu os dez centímetros de alumínio.


Na Escola Secundária de Amares, Ivo Sousa, de 14 anos, aluno do 9º ano, é o aluno mais solicitado pelos colegas. "Toda a gente me pergunta se eu andei mesmo com a manete do travão da bicicleta durante três meses, metido na minha perna. Parece que ninguém acredita", disse ao JN, o rapaz que, desde 18 de Junho, teve, sem que ninguém se apercebesse, dez centímetros de alumínio dentro da coxa.
Ivo caiu de bicicleta quando passeava num monte na freguesia de Barreiros, em Amares, onde vive. A queda causou múltiplos ferimentos que obrigaram o adolescente a recorrer ao Hospital Escala Braga (antigo hospital de S. Marcos). "Fizeram-lhe uma radiografia, cozeram a ferida e mandaram fazer os curativos no centro de saúde de Amares", recorda Maria do Sameiro Sousa, mãe de Ivo.
Desde Junho até ao passado sábado, Ivo foi visto e tratado por mais de uma dezena de profissionais de saúde, sem que ninguém notasse a manete de travão que estava no interior da coxa. "Ele nunca esteve bem. Tirou os pontos, fez curativos, mas o hematoma e o inchaço que tinha na perna nunca passaram", referiu Maria. Sem melhoras, "depois de ir várias vezes ao hospital e de ter feito muitos curativos", na passada semana, a ferida começou a sangrar.
No sábado, uma hemorragia "estranha", fez com que os pais de Ivo o voltassem a levar ao Hospital de S. Marcos, depois de passarem pelo centro de saúde local. "Fui visto por um médico no Serviço de Urgência que mandou um enfermeiro fazer-me o penso", explica Ivo Sousa. E continua: "O enfermeiro estava a limpar a ferida e reparou que havia qualquer coisa dura dentro da cicatriz e descobriu que era a manete do travão da bicicleta". A peça de dez centímetros foi retirada perante o espanto de todos. "Ninguém acreditava que pudesse ser possível o meu filho ter estado três meses com uma manete do travão enfiado na coxa", salienta Maria.
A família já apresentou uma queixa no Livro de Reclamações do Escala Braga. Ontem foi contactada pelos serviços hospitalares para confirmar algumas das informações constantes da queixa. Fonte da unidade de saúde garantiu que está a decorrer um processo de averiguações interno.


deixo aqui o link da noticia

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pai...lho=Amares&Option=Interior&content_id=1668600
 
#4
Esta notícia só vem provar o estado em que os serviços de saúde em Portugal estão, um autêntico nojo.

Há bons médicos e enfermeiros, mas pelos vistos, temos muita gente incompetente no SNS.
 
#6
Fácil... queda, multiplos traumatismos, hospital, confusão e nem ele sabia que a tinha... mesmo vendo a manete partida na bike podia pensar que a mesma estaria algures na zona do acidente...

Mas não deixa de ser "mais um" caso insólito...
 
#7
O que mais me deixa incrédulo é o facto de fazerem uma radiografia à perna, pra ver se fracturou algum osso, e não verem um osso a mais (manete) com 10 cm...

É normal que o miúdo não se tenha apercebido que tinha uma manete enterrada na perna, com a confusão, dores por todo o lado...

Cada vez mais tenho a certeza, que quando recorremos a um serviço de saúde e/ou a outro serviço publico, se não fizermos barulho, se nos deixarmos acomodar, somos "comidos" à força toda... A classe médica em Portugal por culpa da sociedade portuguesa é um deus supremo....

Aqui vos deixo um triste caso da minha prima:

http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.a...hannelid=00000181-0000-0000-0000-000000000181

http://www.guimaraesdigital.com/index.php?a=noticias&id=41860
 
#9
Este faz-me lembrar esta história http://girouniversal.wordpress.com/2010/08/29/cinco-anos-sem-saber-que-tinha-bala-na-cabeca/


"Um polonês (polaco) residente na Alemanha a 35 anos, foi ao médico para retirar da cabeça o que achava ser um cisto.

Quando lhe mostraram que a origem das suas dores era afinal um projétil de 5,6mm alojado na cabeça, o polaco lembrou-se de receber um golpe na cabeça numa “festa de passagem-de-ano em 2004 ou 2005″, mas que não se lembrava disso porque na altura estaria “bastante bêbado (bebum) “.

“Ele disse-nos que tinha a cabeça ferida, mas não estava mal ao ponto de precisar de cuidados médicos”, contou um porta-voz da polícia de Bochum.

A ferida provocada pela bala sarou à volta desta. Foi só por ter dores recorrentes que o homem de 35 anos resolveu examinar o inchaço que teria há mais de cinco anos.

A polícia diz que não irá procurar suspeitos, já que este acidente terá sido o resultado de uma comemoração. “Pode ter sido um disparo para o ar que terá ficado alojado na cabeça deste homem na trajetória descendente” revelou o porta-voz."


Não fazem muita diferença um do outro...
 
#10
Acabei de ver no jornal da noite da sic este caso insólito que demonstra a qualidade hospitalar que impera neste pais onde a classe médica sempre reevindica falta de condições hopitalares(e nós que podemos reclamar?). O problema é que a manete era de aluminio se ainda fosse carbono até eu gostava de ter uma :D

Abraços
 
#11
O que mais me deixa incrédulo é o facto de fazerem uma radiografia à perna, pra ver se fracturou algum osso, e não verem um osso a mais (manete) com 10 cm...
Resta saber se a radiografia foi vista e que incidências do exame foram feitas, e se voltaram a fazer radiografias depois da sutura ter sido retirada ou quando as queixas de dores continuaram.

Quanto à questão da classe médica ser "deus supremo", infelizmente tens alguma razão. Digo apenas, porque tens muitos que fazem mais do que devem, são excelentes profissionais assim como todas as outras classes que trabalham neste tipo de instituições.
Mas há ovelhas negras e deves ter certamente alguma no local do teu trabalho, não?
Se era tua prima, desde já apresento-te as minhas mais sentidas condolências e votos para que tudo se resolva pelo melhor.

Para os mas curiosos e para os que pensam que todos os materiais aparecem no rx (espinhas inclusivé) aqui vai um link: http://www.nerdssomosnozes.com/2008/11/o-raio-x-de-um-macbook-de-alumnio.html
 
Last edited:
#12
Resta saber se a radiografia foi vista e que incidências do exame foram feitas, e se voltaram a fazer radiografias depois da sutura ter sido retirada ou quando as queixas de dores continuaram.

Quanto à questão da classe médica ser "deus supremo", infelizmente tens alguma razão. Digo apenas, porque tens muitos que fazem mais do que devem, são excelentes profissionais assim como todas as outras classes que trabalham neste tipo de instituições.
Mas há ovelhas negras e deves ter certamente alguma no local do teu trabalho, não?
Se era tua prima, desde já apresento-te as minhas mais sentidas condolências e votos para que tudo se resolva pelo melhor.

Para os mas curiosos e para os que pensam que todos os materiais aparecem no rx (espinhas inclusivé) aqui vai um link: http://www.nerdssomosnozes.com/2008/11/o-raio-x-de-um-macbook-de-alumnio.html

Bom dia mochopachorrento

Infelizmente a vida por vezes é injusta, e desta vez "atacou" a minha família, pois a Cristina deixou dois filhos (7 e 3 anos)...

Quanto à classe médica, a mesma é protegida pela sociedade e pela justiça portuguesa. Contudo, e como em tudo na vida, há óptimos profissionais de saúde, assim como há profissionais de saúde maus. Eu já fui operado 2 vezes no publico e uma vez no privado, e confesso, que no publico fui tão bem ou melhor recebido e tratado que no privado.
Não quero com isto difamar a classe médica, mas sim alertar a sociedade para questões que acabam por se tornar ridículas.

Mas a vida continua, bem haja a todos os bons profissionais de saúde que vão tratando das nossas quedas no BTT
 
#13
Esta notícia já tem algum tempo mas decidi comentar por desencargo de consciência.

Tenho 3 amigos radiologistas e em conversa de café o que eles me dizem é que é IMPOSSÍVEL alguém com BOA FÉ não ter detectado uma manete daquele tamanho.
Segundo eles, o exame é feito sobre dois eixos X e Y. Se num dos eixos fosse impossível ver, o que seria muito difícil dado que uma cabeça de alfinete se consegue ver numa radiografia, então no outro eixo daria para ver de certeza.

Armando-me em "advogado do Diabo", ataquei com a hipótese de eles estarem a salvaguardar a sua posição profissional. Ao que eles me responderam que: "Fazemos o exame, fazemos o relatório. Nesse relatório o objecto é identificado. O relatório segue para o médico que pede o exame. A partir daqui, não sabemos de mais nada."

Outra coisa que eles acham esquisito é o seguinte: a criança passa pela triagem que NÃO VÊ, pelo médico que NÃO VÊ, pelo radiologista que faz o exame e NÃO VÊ, pelo médico novamente que NÃO VÊ, pelo enfermeiro/médico que sutura que NÃO VÊ e o puto anda com um ferro cravado numa perna e só lhe doía.

A opinião final deles é: "Alguém quer ganhar $$$ à custa do Seguro."

Faço este post não com intenção de defender uma ou outra parte mas como todas as histórias têm 2 lados, eu ouvi um dos lados (não intervenientes directos).

Existe bom jornalismo e existe jornalismo à "24h" e o que é certo é que nunca mais se ouviu falar deste caso.

http://estaticos.20minutos.es/img/2009/04/24/954400.jpg

Nesta imagem vêem-se os pregos. O osso é translúcido e o metal é opaco. Custa-me a acreditar que não se tenha conseguido ver.
 
#14
Carvalhinho, mas os pregos devem ser de aço e a tal manete era de aluminio!

Eu também sou da opinião que isto é tudo uma invenção da família do miúdo para conseguirem ganhar algum do seguro! Quer dizer... ele tinha um objecto de 10cm na perna e só sentia dor? não sentia uma coisa estranha dentro dele? A menos que ele tenha mais de 120kg eu não me acredito nem um pouco na veracidade desta noticia!
 
#15
MrOverlock,

O raio-x não "passa" nenhum metal, ou pelo menos todos os metais são detectáveis numa radiografia. Daí se conseguirem ver platinas das próteses e adornos de ourivesaria como ouro e prata. Ao que sei, o chumbo é o metal que melhor "isola" o raio-x ou pelo menos o mais viável comercialmente. Daí se usarem aventais de chumbo e as parede da sala de radiografia ser isolada com chumbo.

3 meses com um ferro na coxa?!?! Só se o puto esteve 3 meses com gesso para não mexer a perna.

Há aqui gato...
 
#16
Boas

O facto de ter aberto um tópico sobre este assunto, não quis com isto, defender ou atacar quer um lado quer outro, mas sim basear-me numa noticia.
Contudo, não me parece possível ser invenção da família, pois pelo que li e entendi, foi o enfermeiro que detectou algo rígido na coxa do miúdo, e o mesmo enfermeiro que retirou a manete. Não me parece que passado 3 meses, alguém lhe fosse meter uma manete na coxa antes de ele entrar no hospital para ser visto pelo médico.

Concordo com a observação do tipo de jornalismo que por ai se anda a fazer, mas na reportagem tv onde entrevistaram os pais e o miúdo, eles próprios relataram o sucedido.
 
#17
Não quero estar a conspirar... mas basta o enfermeiro estar feito com a familia e nem nunca ter tirado nada da perna do miudo!

Cada um crê no que quer... e eu não acredito em parte nenhuma desta história, tirando a parte do miúdo ter caído de bike, isso quanto a mim é bastante plausível
 
#20
nao é por aí, se tiveres um acidente um pouco mais grave e fores para o hospital, o teu amigo ou quem te levar a bike se vir que está uma manete partida nao vai andar la a procura da manete e para quê ? para soldar a manete enquanto o miudo esta no hospital ? ele so partiu a manete quando caiu .
eu acredito nesta historia. mais rapido desconfio da ida do homem a lua do que nisto .