[RESCALDO] - 6º Passeio FexpoMalveira - Malveira - 15Agosto 2010

#21
BOSS,

O meu comentário foi mal interpretado. Quanto ao percurso em si eu acho que fizeram um trabalho excelente. Quer a nivel de prospeçao, quer a nivel de limpeza dos trilhos. Aliás eu achos que voçês para descobrirem certos caminhos andaram a falar com as cabras e as ovelhas da zona. Nesso aspecto 6 estrelas. Já no dia 17 de Julho fiz a vossa volta ao concelho e dei nota máxima!!!
O que quis dizer é que sendo um PASSEIO, não estava acessivel a rapaziada menos experiente. Isto porque passei por malta do percurso dos 35km que vinha a sofrer bastante e ainda bem longe da chegada. Resumindo ao fazer este comentário não pensei só em mim, mas por ser um passeio basiei-me em “BTT para todos”.

Um abraço e continuem.
 
#22
Onde vão ser colocadas as fotos que foram tiradas durante o evento?
Maior parte deles vai estar no Fotobikers fotografos que estiveram em algumas zonas...tirando algumas da Organização

Deixo aqui algumas fotos deste evento

Partida











O amigo Ricardo que dizia que estava em pulgas...e não conseguiu ficar parado muito tempo...alguns devem ter sentido brisa...era ele a passar :xau:



1as Paragens...





Zona de Abastecimento













Moinhos junto ultimo abastecimento



 
Last edited:
#23
Boas
(Atenção ás datas dos produtos que nos dão, é uma questão de saúde, com o calor que estava e produtos fora de prazo não é a melhor combinação ... :evil:)
Agora só faltam as Fotos......

Boas pedaladas e até para o ano..
Bom dia Joperi

ESTA AFIRMAÇÃO É MUITO GRAVE...POR FAVOR PODE ESPECIFICAR??...QUE PRODUTO FOI OFERECIDO FORA DE PRAZO??

Agradeço resposta urgente
Carlos Morais
 
#24
Boas a todos os participantes, e mais uma vez parabéns a organização, que em todos os aspectos esteve 5 estrelas, nada que o pessoal que participa no passeio da Fexpo não esteja habituado :), foi a minha 5ª participação (houve uma que andava de braço ao peito) e mais uma vez foi dura, mas com um percurso excelente e a ultima parte depois de descer dos moinhos foi genial, moro na zona e não conhecia aquela pequena mas excelente descida, e voltinha a pista também foi porreira...
Só lamento uma coisa, eu cheguei ao fim do passeio com 4 garrafas vazias nos bolsos do jersey, mas houve muitos dos participantes que poucos metros a frente dos reabastecimentos deitavam-nas para o chão, mas como toda gente sabe, quem normalmente faz isso são os heróis que vão à frente, esquecem-se que estão num passeio, não numa prova de BTT.

Até 2011
 
#26
O meu rescaldo já foi feito anteriormente, por isso não quero alimentar polémicas.

O utilizador JGINJA já o tinha referido na 1ª página do rescaldo.

Eu também verifiquei essa situação juntamente com o grupo com o qual partilhei esse espectacular passeio.

O produto em causa foi o Gel cuja validade terminou em Março de 2010.

Foi dado por pessol de uma moto 4, no final de uma valente subida junto a um furo de captação de água onde o pessoal podia refrescar-se e no abastecimento da motoreis.

Espero ter ajudado no esclarecimento da questão

Até para o ano.
jpena
 
Last edited:
#27
Boas
Creio que já foi quase tudo dito em relação a este passeio, que como já nos vem habituando esta organização, foi ao mais alto nivel.

Quero só sublinhar a eficácia da assistencia técnica à qual tive que recorrer pois a roda traseira do Tandem não aguentou a "potencia" de 2 atletas :)
Como queríamos chegar ao fim, foi-nos fornecida uma roda emprestada pela MOTOREIS, a quem agradeço o apoio e simpatia.
Agradeço também o apoio da comunidade e o incentivo aos "malucos do tandem" :tungas:

Quanto ao gel fora de prazo peguei num sem ver da Carboom e como n o usei ainda o tenho aqui... 26 MAR 2010 :fpalm:
 
#28
Estas coisas do btt são sempre muito esgotantes e este passeio não fugiu à regra, afinal de contas tinha toda aquelas pequenas coisas que um praticante da modalidade diz que gosta de encontrar, senão vejamos :
• Pedras daquelas duras e que nos poem a zigzaguear para fugir de algumas e ir parar nas outras, daquelas que ainda por cima se riem de nós. E quando estão na borda de um penhasco....
• Subidas daquelas, sim daquelas muuuito a subir, com uns regos pelo meio, interessantes e escorregadias para os sapatos (!) pois já saímos da bicicleta lá atrás.
• Areia daquela fininha um pouco antes de ser pó, que desse já falamos mais adiante, que nos apanha quando vimos lançadissimos lá de cima, que nos leva mais ou menos para onde queremos.
• Descidas daquelas boas, mas mesmo boas, que a pé ou em cima da bicicleta são sempre uma emoção, quando não uma comoção ou mesmo uma lesão.
• Uns estradões que não davam descanso, muito “crateirentos”, de ondulação sempre “rockeira” que nos matavam as pernas e a energia que elas já não possuiam.
• Uns singletracks daqueles muito finiiiinhos que tanto lá estás como “cais fora”. Que a descer eram “à maneira” mas que queriam sempre escapar-nos ao subir. E os sitios por onde passavam... tão bonitos se os olhos não estivessem a prestar atenção a outras coisas.
• Um troço de “pavé” (empedrado para os menos dados ao ciclismo de alcatrão) tipo Paris Roubaix que nos abanava o esqueleto e nos fazia pensac no que os “Cancelaras” sofrem com a bicicleta de estrada. E no fim tal como no Paris Roubaix chegávamos num “velódromo”.
• Pó !! Daquele miudinho, castanho de cor, que nos forra com uma tonalidade castanhosa, que nos leva aos tempos dos cowboys cavalgando na pradaria, com os vultos à nossa frente levantando uma nuvem.
• Staff !! Um staff sempre tão simpático, imaginem que mandava parar carros para eu passar !! Que lutava para me darem uma garrafa de água e sorria quando me viam em apuros. Staff daqueles que dizem que “agora é senpre a descer”, que bem sabe a mentira. Uma gente que merece tudo por estar na torreira do Sol, todo o dia, tomando conta de nós.
E havia mais para dizer sobre tantas outras coisas, mas agora tenho de me ir deitar pois estou com alguma dificuldade em andar.
 
#29
Queria ne entanto fazer uma "critica" aos cromos que não levam à letra o "passeio" organizado. Se pretendem competir numa prova que se pretende que tenha a participação de todos, inclusive principiantes na modalidade, devem ter noção disso e não provocarem quedas como aconteceu ontem, em que pelo facto de passarem a abrir, e com gritos "sai da frente cara...", fizeram cair 2 participantes, que para sairem da frente tiveram de se mandar para a "valeta". A estes tipos digo, que é melhor não participarem neste tipo de eventos, porque o espirito não é esse. E se são tão bons, o melhor é participarem em eventos onde se ganhe realmente um troféu, e não uma taça de arroz doce ou um pacote de queijo.
Boas bmrodri,
Tens razão no ponto em que não é preciso ofender nem provocar acidentes, e já agora não custa nada avisar se vão passar pela direita ou pela esquerda.
Mas as vezes algum pessoal é tipo o condutor que na autoestrada vai a 90 na faixa da esquerda, (atenção que não me estou a justificar pois sou mais vezes ultrapassado que as que ultrapasso).;)
Parabens á organização, muito em especial á "brigada da limpeza", que tinham os trilhos num mimo.

Naga
www.lobagueirabtt.com
 
Last edited:
#31
Olá naga,
Pois, eu também so umais vezes ultrapassado do que aquelas que ultrapasso, que são mesmo muito poucas ;), inclusivé ontem até caí a tentar desviar-me de uma rapaz que ia ao lado da bike numa subida. Mas quando partes para um evento destes, tens de estar preparado para isso, para encontrar de tudo, porque acima de tudo, o que eu acho que a excelente organização deste evento pretende é proporcionar a todos os amantes desta modalidade bons momentos de diversão, e não de competição. Aliás, ontem antes de arrancarmos, foi bem audível no megafone, que se tratava somente de um passeio, só que todos nós sabemos que há sempre uns verdadeirros cromos que aproveitam estes momentos para se exibir perante aqueles com mais dificuldades.

bmr
 
#32
Estas coisas do btt são sempre muito esgotantes e este passeio não fugiu à regra, afinal de contas tinha toda aquelas pequenas coisas que um praticante da modalidade diz que gosta de encontrar, senão vejamos :
• Pedras daquelas duras e que nos poem a zigzaguear para fugir de algumas e ir parar nas outras, daquelas que ainda por cima se riem de nós. E quando estão na borda de um penhasco....
• Subidas daquelas, sim daquelas muuuito a subir, com uns regos pelo meio, interessantes e escorregadias para os sapatos (!) pois já saímos da bicicleta lá atrás.
• Areia daquela fininha um pouco antes de ser pó, que desse já falamos mais adiante, que nos apanha quando vimos lançadissimos lá de cima, que nos leva mais ou menos para onde queremos.
• Descidas daquelas boas, mas mesmo boas, que a pé ou em cima da bicicleta são sempre uma emoção, quando não uma comoção ou mesmo uma lesão.
• Uns estradões que não davam descanso, muito “crateirentos”, de ondulação sempre “rockeira” que nos matavam as pernas e a energia que elas já não possuiam.
• Uns singletracks daqueles muito finiiiinhos que tanto lá estás como “cais fora”. Que a descer eram “à maneira” mas que queriam sempre escapar-nos ao subir. E os sitios por onde passavam... tão bonitos se os olhos não estivessem a prestar atenção a outras coisas.
• Um troço de “pavé” (empedrado para os menos dados ao ciclismo de alcatrão) tipo Paris Roubaix que nos abanava o esqueleto e nos fazia pensac no que os “Cancelaras” sofrem com a bicicleta de estrada. E no fim tal como no Paris Roubaix chegávamos num “velódromo”.
• Pó !! Daquele miudinho, castanho de cor, que nos forra com uma tonalidade castanhosa, que nos leva aos tempos dos cowboys cavalgando na pradaria, com os vultos à nossa frente levantando uma nuvem.
• Staff !! Um staff sempre tão simpático, imaginem que mandava parar carros para eu passar !! Que lutava para me darem uma garrafa de água e sorria quando me viam em apuros. Staff daqueles que dizem que “agora é senpre a descer”, que bem sabe a mentira. Uma gente que merece tudo por estar na torreira do Sol, todo o dia, tomando conta de nós.
E havia mais para dizer sobre tantas outras coisas, mas agora tenho de me ir deitar pois estou com alguma dificuldade em andar.
Luis

Esta tua descrição do evento está MAGNÍFICA,
parabêns
Carlos Morais
 

Mox

Active Member
#33
Olá pessoal ... então começo por dizer ... Obrigado por este magnifico passeio ....

Fui com a ideia de fazer os 52 e fiz ....

Achei o percurso fenomenal ... mesmo a maneira ... tomara eu que todos aqueles que eu vou tivessem metade da diversidade que este teve ...

A prova correu-me toda 5 estrelas ate estar a 17 km do final ... onde me deram 2 caimbrãs horríveis que me deixaram Ko ... ( para quem tinha pensado que se tinham bem hidratado ... não tinha ... ) mas devagarinho lá cheguei ao fim .

Queria agradecer a um senhor que vinha com o filhote que me deu uma ajuda nos alongamentos e sem ele não conseguiria chegar ao fim .. foi uma ajuda preciosa .


Para o ano lá estarei de certeza , para repetir ...

Para quem se queixa que era duro ... a altimetria estava disponível antes .. . todos já sabiam para o que iam ...

E no inicio da prova o senhor ao microgaitas disse mais que uma vez ... ( quem n estiver bem ... vá aos 30 e tal )

Poderia ter-me corrido um pouco melhor , se me tivesse hidratado melhor ...

Um abraço a todos ...
 
#34
6.º Passeio e 5.ª participação minha (só faltei ao primeiro porque na altura não tinha a bicicleta em condições).

Mesmo tendo ido aos 35 kms, 10 kgs a mais do que no ano passado e um ano sem praticamente andar de burra trouxeram-me um empeno como nunca tinha levado na vida (e já andei em provas de 24 e terminei Serpa160 e outras coisas do género).

Sim senhor, a já lendária dureza do "passeio da Fexpo" continua em grande e espero que para o ano não seja diferente porque lá estarei para a minha 6.ª participação.

Parabéns à Organização por mais uma vez inventar tão numerosas dificuldades sem praticamente repetir os trilhos dos anos anteriores.

Quanto às marcações e orientações tive problemas por duas vezes, um por excesso de zelo dum voluntário e outro pelo motivo contrário.

Um senhor bem intencionado disse-me "daqui a 100 metros é à direita". Aos 130 metros estava uma fita antes dum cruzamento à direita e eu virei levando um bom grupinho de 8 ou 10 atrás de mim.

Pois não era por aí. O problema é que houve que voltar à estrada e se aquilo era a subir... Ouvi poucas e boas do pessoal que enganei... :) Se algum de vocês ler isto, peço de novo desculpa...

Vai-se a ver havia uma fita bem mais à frente e a viragem era a cerca de 200 metros. Nota: devem-se evitar fitas antes dos cruzamentos onde NÃO se vira (colocam-se depois logo a seguir) e, já agora, às vezes a ajuda, se não é rigorosa, deixa de ser ajuda e passa a ser o contrário.

Depois, na famosa viragem 35/50, estava um grupo de escuteiros bem estacionado em frente às placas tapando-as. Ainda amarinhei por ali acima mas estranhei ver pintado no chão "50" na famosa tinta laranja e voltei pra trás. Lá dei então com as benditas placas. Nota: quem está nas viragens não só não deve tapar as placas de direcção com o corpo mas também poderá ir dando uma ou outra indicação vebal.

Mas isto são detalhes que em nada mancham a qualidade de Organização deste passeio ao qual não faltarei enquanto a vida me permitir.

Parabéns mais uma vez!
 
#35
Também participei neste passeio pela 2ª vez e devo dizer o mesmo que no ano passado...muito bem organizado.

E muito duro também.

Espero que quem tenha perdido um porta-chaves com uma chave de um SEAT, tenha recebido no fim do passeio, pois eu encontrei no chão e dei a um elemento da organização, no abastecimento na Moto Reis.

Até para o ano.
 
#36
5*****

A 2º vez que participo e mais um ano que fico maravilhado com a qualidade e diversidade de trilhos, que os saloios são os melhores a descobrir, juntando-se trabalho e dedicação impecáveis tornando-os cicláveis com a sua limpeza, deviam de servir de exemplo para mais organizações.

Agradecimentos feitos á organização gostava apenas de deixar a minha opinião num tema já muito falado a questão do "passeio" ou "prova". Sabendo que não há qualquer tipo de classificações ou prémios nem sequer tempos, temos definido um passeio, agora nem todos nós gostamos de fazer os passeios às mesmas velocidades, assim como quando treinamos não gostamos também de treinar às mesmas velocidades.

Confesso que gosto de andar sempre no máximo das minhas possibilidades e por isso tento arrancar mais ou menos bem para me juntar com pessoal que tenha mais ou menos o meu andamento evitando ter muitas das faladas ultrapassagens, inevitavelmente elas acabam por acontecer mas aqui tem de imperar tal como na estrada quando conduzimos o bom senso de cada um e o civismo. Infelizmente existem em todas as modalidades e não só pessoas que têm alguma falta.

Acabei por ter de efectuar algumas ultrapassagens na ultima parte do percurso quando se voltavam a juntar os percursos, talvez fosse algo a evitar nos próximos anos, não por mim mas penso que o pessoal que já está de rastos dos 35km também desmoraliza a ver pessoal a passar com mais velocidade e a pedir licença. No meu caso até achei engraçado e na última subida ia tentando moralizar o pessoal mais lento metendo conversa e incentivando para completarem o percurso que já faltava pouco.

Até para o ano e força Saloios
 
#38
Boas ,
Também levei um valente empeno ,mas soube bem. Quanto a dureza do percurso acho que estava toda a gente avisada. Falando do tipo de andamento de cada um acho que à lugar para todos desde que haja respeito uns pelos outros. Cada um tem a sua maneira de curtir o passeio. Nem aqueles que gostam de andar mais devagar podem querer que os outros andem á sua velocidade nem os que andam mais depressa se devem achar mais que os outros. Basta serem civilizados e dá para todos.
 
#39
De nada...foi uma sorte!!!!

Boas

Pessoal, antes de mais, quero agradecer a quem fez o favor de encontrar uma chave de um Seat Ibiza e entregou a um elemento da organização, OBRIGADO!!

Agora, falando do passeio...

- 1º Passeio da Malveira feito este ano (irei sempre a este Evento)
-Trilhos á maneira, apesar de ter feito apenas os 37km...Diogo, tu bem me querias nos 52km mas não tinha tempo!!!...gostei imenso do percurso, uma ou outra subida mais inclinada, descidas á maneira, algum calor á mistura, mas tudo 5****
- Pessoal animado e bem disposto (alguns conhecidos de outros locais)
- Abastecimento de águas estava porreiro, o reabastecimento de produtos sólidos ainda melhor...

Agora que falam nos GEL´s, será que as embalagens de queijo TERRA NOSTRA, estavam fora de validade ??? Havia caixas cheias!!
A descida mais complicada, nos 37km, foi aquela onde tinha uns drop, no meio dos pinheiros, algo elevado mas nada que não se fizesse...á mão!!!
Fotos, devem haver algumas, na descida que ia dar quase á estrada, á entrada da Malveira, devem ter ficado bem fixe!!

Os primeiros 3 elementos a chegar ao fim dos 52km foram, Ricardo Marinheiro, que ao km 30, já passava por mim, a subir, parecia que ia a descer, logo de seguida passados 3km o Daniel de Alverca, depois ao km 35 em 3º/4º lugar, o Paulo da MotoReis e um rapaz da Motovedras

Abraço a todos!!!

Foi uma sorte ter encontrado as chaves, mas quero acreditar que de certeza se não fosse eu, alguém encontraria e faria o favor de entregar.

Cumps,
Paulo
 
#40
52km duros, mas bons. É tudo uma questão de treino.
Há muitas maratonas de 100km com a mesma subida acumulada (+-1.300m). Por aí se percebe a dureza deste passeio.
Mas valeu a pena, bons trilhos.
Venha daí o 7º passeio da Fexpolmalveira 2011.