Prós e contras de travões mistos hidráulicos/mecânicos vs hidráulicos puros

#1
O título da pergunta é auto-explicativo.
Recentemente, foram acrescentados ao mercado travões que são uma mistura híbrida entre travões mecânicos de cabo de aço (Bowden) e sistema hidráulico, cujo depósito de óleo é perto do disco da roda.
Queria saber as vantagens e desvantagens deste tipo de travões contra hidráulicos puros.
 
Last edited:

Joseelias

Well-Known Member
#3
Se estás a falar do TRP HyRd parece ser uma coisa virada para o ciclocross.

https://www.cxmagazine.com/trp-unve...ical-hybrid-cyclocross-disc-brakes-nahbs-2013

Acho que a vantagem está na simplicidade mecânica dos sistema de cabos, com a vantagem do auto-ajuste das pastilhas dos sistemas hidráulicos. Também terá a vantagem de ser mais barato já que permite manter as manetes e os cabos e bichas são baratos se houver necessidade de trocar, e não haver a necessidade de andar a sangrar travões, digo eu...

O Bikeradar tem uma review mas ainda não li.

https://www.bikeradar.com/reviews/c...trp-hy-rd-road-disc-brakes-first-ride-review/



 

mack1

Active Member
#4
O dono da loja onde levo a biclicleta montou 2 bicicletas para ciclocross com estes travões precisamente porque segundo ele são melhores para este uso.
 

Joseelias

Well-Known Member
#5
O dono da loja onde levo a biclicleta montou 2 bicicletas para ciclocross com estes travões precisamente porque segundo ele são melhores para este uso.
E deu alguma explicação para tal?

Não sou a melhor pessoa para falar de travões de disco, mas a ideia de eventualmente não se ter problemas com o sangrar dos travões, e toda a simplicidade mecânica dos cabos de aço e das manetas para esse uso para mim é muito interessante já que gosto de coisas de mecânica e reparação simples no terreno.

Se fosse montar travões de disco numa bicicleta e estes fossem compatíveis com um quadro de btt seriam a minha escolha.
 

edununo

Well-Known Member
#6
A Giant tem um sistema semelhante, a que chama de Conduct e usa nas bikes de estrada.
Um teste.

https://www.bikeradar.com/reviews/bikes/road-bikes/giant-contend-sl-2-disc-review/

Aqui falam em questões de budget.

Quando comprei a Defy no final do ano passado, nas versões de 2019, a Ultegra era full hidráulico. A 105 trazia este sistema.
Na loja não me aconselharam, também não gostei de algumas reviews.
Comprei a Ultegra por pouco mais que a 105.
Nos modelos de 2020, a 105 também já é full hidráulico.
 

Joseelias

Well-Known Member
#7
O sistema nessa Giant parece-me diferente do que mostrei.

A TRP também tem um sistema semelhante (Parabox) mais antigo que o mostrado acima. Essencialmente, tem a caixa do sistema hidráulico abaixo do avanço onde se ligam as manetas mecânicas. Ou seja o sistema é todo hidráulico do avanço até às pinças, e só é mecânico das manetas até à caixa. A questão aqui é única e exclusivamente de poupança de dinheiro. Não tem qualquer outra vantagem. Aqui está uma imagem.



Para Btt não faria qualquer sentido já que como as manetas dos travões são separadas dos manípulos das mudanças, ao contrário de na estrada, não aumenta muito o preço comprar-se o sistema hidráulico completo.

No caso do TRP HyRd é mecânico na sua quase totalidade, e a parte hidráulica está limitada às pinças. Aí já se podem considerar outras vantagens para lá da poupança de dinheiro, como a maior leveza e simplicidade mecânica e de manutenção.
 

edununo

Well-Known Member
#8
Leveza até pode ser. Simplicidade parece-me igual. A diferença está que num tem cabos mais curtos e hidráulicos mais longos, e o outro é ao contrário.
 

Joseelias

Well-Known Member
#9
A introdução de um terceiro elemento, como aquele cartucho introduz mais complexidade. Mais que não seja porque é mais um componente a precisar de manutenção ou a poder-se estragar.

Tanto o sistema hidráulico, o mecânico ou o híbrido limita tudo ao conjunto manetas+pinças.

Como estamos a falar essencialmente de uma opção para ciclocross, onde há muitas quedas, lama, transporte de bicicleta à mão, ter um cachucho debaixo do avanço parece-me um pior oção que o novo TRP HyRd.
 

Joseelias

Well-Known Member
#11
Quando refiro que é mais um elemento, estou a referir-me que é mais um objecto no conjunto. No conjunto hidraulico ou mecânico ou híbrido temos duas manetes e duas pinças, e com o sistema tipo Parabox ou a versão da Giant soma-se um quinto objecto. Com a desvantagem de ser uma peça protuberante. Não estou a falar em termos de função mecânica.
 
#13
No meu parecer não estou a ver a vantagem! Concerteza que é mais eficaz que totalmente mecânico no entanto a única diferença que vejo para uns totalmente hidráulicos é que a actuação dos bombitos em vez de ser directamente na manete é na pinça recorrendo a um cabo! É inegável no entanto que na situação de quebra de um cabo é muito mais simples a reparação quanto a eficácia já ponho alguns entraves pois neste sistema híbrido só terá o óleo do bombito enquanto que num hidráulico completo terá ainda óleo na bicha que poderá ajudar no arrefecimento e consequentemente na eficácia.
 

Joseelias

Well-Known Member
#15
Num dos links, para uma review do site road.cc, confirma uma das coisas que tinha pensado que é anular a necessidade de se sangrar os travões como nos sistemas hidráulicos totais. Claro que perde em algumas coisas, mas simplifica noutras, mantendo mesmo assim uma boa performance.