Parque Florestal de Monsanto

#1
Boas

Como para o mes que vem vou ter ferias, queria aproveitar para dar uma volta com alguns amigos. Estávamos a pensar ir para o Monsanto. (depois de vermos as belas reportagens aqui do pessoal do fórum)

Aproveitando uma imagem de uma dessas reportagens e um mapa de Monsanto (quem quiser o mapa diga) fizemos um percurso, mas como estamos no começo da carreira betetista e nunca fomos para o Monsanto, queria pedir a quem conhece a zona o que acham do percurso, em que sentido devíamos faze-lo, como unir o ponto X ao Y e umas dicas para passarmos um bom bocado.

Desde já o meu obrigado pela ajuda.

 
#2
No feriado de 5 de outubro demos uma voltinha de cerca de 20km's com muitas subidas e descidas fixes, está o report e o track gps em http://www.forumbtt.net/viewtopic.php?t=3218 .. a volta não é propriamente para iniciados, mas se estão com alguma coragem e vontade de evoluir, força nisso!

Tenho um outro track, com cerca de 14km's que dá uma volta bastante vistosa por monsanto, mais rolante e pouco técnica, boa para ganhar forma e conhecer mais ou menos a zona ... o track está aqui.
 
#3
43Kms em Monsanto !

tenho um percurso de 43Kms em Monsanto, só passa duas vezes pelo mesmo sitio (a cruzar), posso enviar mapa (ficheiro .jpg) ou track (só vai até aos 35Kms, ainda, o homem que levava o GPS arriou...)

mas aviso que é um pouco violento (o minimo q fiz foi 3h10m non-stop), e tem algumas passagens "agrestes" sem alternativa.

divirtam-se
 
#8
Já recebi o mapa do Ruca Zuca, e assim a olhar para ele parece-me um belo dum percurso a aproveitar muitissimo bem quase tudo o que monsanto tem para oferecer.
Tenho a bike no estaleiro mas espero ainda amanhã ou depois pder ir testar este percurso.
Depois deixo uma nota se o conseguir terminar (é que aquilo parece-me para as minhas pernas algo ambicioso) a ver vamos.

Obrigado Ruca Zuca mais uma vez.
 
#10
Câmara anuncia hoje futuro do campo de tiro (OU NAO) !!!

http://jn.sapo.pt/2006/08/10/sul/camara_anuncia_hoje_futuro_campo_tir.html

A Câmara de Lisboa anuncia hoje se renova ou não o contrato de concessão do campo de tiro a funcionar no Parque Natural do Monsanto, depois de uma reunião realizada ontem, que contou com as participações dos vereadores das Finanças, Fontão de Carvalho, dos Espaços Verdes, António Proa e técnicos camarários.

O prazo para a eventual denúncia do contrato por parte da autarquia e consequente aviso ao Clube Português de Tiro a Chumbo expira no próximo domingo. Se não for denunciado, é renovado automaticamente.

O anúncio da resolução da Câmara surge um dia depois do protesto, realizado frente aos Paços do Concelho, e que foi organizado pela Plataforma por Monsanto - que reúne várias organizações -, contra o funcionamento daquele equipamento no pulmão verde da cidade.

"O campo de tiro não se enquadra dentro do Monsanto actual", considerou Carlos Moura da Quercus, explicando que a pretensão da Plataforma não é a saída do Clube de Tiro, mas sim a deslocalização do campo, por motivos de segurança pública, ruído e também porque os chumbos que caem das armas poluem o solo e a água. "Existem queixas de pessoas que sentem os chumbos a cair e outras que foram apanhadas por pedaços de pratos", revelou.

Apesar da fraca adesão à concentração de ontem, os vereadores do PCP, Rúben de Carvalho e Rita Magrinho e Manuel Maria Carrilho (PS), abandonaram a reunião do executivo para manifestarem a sua concordância com a acção. Rúben de Carvalho disse esperar que "haja bom senso para não renovar o contrato", enquanto Manuel Maria Carrilho, afirmou que tudo "decorre de uma teimosia sem sentido por parte da Câmara".

Ontem no Parque Natural de Monsanto - com muito menos movimento que o habitual, devido ao calor intenso e às férias - o JN tentou saber o que pensam os utilizadores.

"É um corpo estranho nesta área", considerou Alexandre Fernandes, que aproveitava uma sombra do parque infantil da Serafina. "Quando foi instalado passava despercebido e estava integrado. No actual contexto, mais virado para o lazer, está desactualizado", afirmou, adiantando que o barulho dos tiros é bastante audível, quando se passa em determinadas zonas.

Por sua vez, José Costa, habitual frequentador do parque, garante que nunca se sentiu "ameaçado" pela proximidade do campo de tiro, mas concorda que o equipamento seja deslocado para outra zona. "O Jamor seria uma boa alternativa", sugeriu.



Epá o José Costa não sou eu, quem nunca levou com um prato ou se assustou com os tiros que mande a "primeira pedra". :mrgreen:
 
#11
Boas,

Confesso que veijo muitos pratos fora do campo de tiro no chão, e quando passo por lá de vez em quando penso "se um gajo vai aqui a passar e leva com uma cena destas..."


João Santos
 
#12
A Câmara de Lisboa denunciou o contrato que permitiu a permanência do Campo de Tiro no parque florestal de Monsanto nos últimos 44 anos, mas admite a continuação do funcionamento deste equipamento desde que "sejam cumpridos os parâmetros de protecção ambiental e de segurança do parque florestal previamente definidos pela autarquia".

"A Câmara de Lisboa formalizou ontem esta decisão de denúncia do contrato junto do Clube de Tiro", revelou o vereador dos espaços verdes, António Proa, em conferência de imprensa.

Com esta decisão, o campo de tiro só poderá funcionar até 13 de Fevereiro do próximo ano, altura em que termina a concessão do terreno cedido em 1962 ao clube, que já manifestou vontade de permanecer no local.