Opinião liquido selante Tubeless

#41
O liquido STAN's tem durado cerca de 6 meses. mesmo aqui com os calores de >30ºC do Baixo alentejo...
Simplesmente, reponho -tiro o interior da valvula e meto mais 40 a 60ml, depende se ainda ouço liquido ou não. limpar. nada disso. eventualemtne limpo a valvula se tiver bocadinhos de latex a estorvar a valvula.
 
#43
Admites bem.. mas eu não tenho tiudo esse trabalho, por outro lado aquela pelicula faz de protecção extra.
Outro dia, desmontei um que já estava nas lonas..com 4 anos na bike... e a coisa estava porreira, O Stan´s não cria grandes aglomerados...
 
#44
Nota: quando tinha câmaras de ar, furava a cada 200/300km...
E já agora câmaras com liquido ou não ? Qual a marca das câmaras e o tipo de líquido ?

É que eu já uso câmaras com liquido à muitos anos e já apanhei boas, menos boas e mesmo más.
Normalmente nas lojas nacionais têm pouca renovação de câmaras e cheguei a apanhar algumas que não funcionavam simplesmente porque deviam estar à meses na loja. O tipo de líquido influencia em muito a experiência.
Câmaras de ar Slime Lite não recomendo, já as Slimes normais são boas, como são bastante boas as da Joe's.
As da Decathlon actuais também são bastante razoáveis, tendo em vista que custam 5 euros, que é do mais barato que se encontra.

Também já tive uns pneus tubeless que no dia a seguir a andar estavam sempre vazios...
Podia dizer que é porque o sistema é uma porcaria, mas não, o problema era o líquido, da Shimano, que não vale nada, muito mau.
Mudei o liquido e passou.
Eu não gosto dos líquidos com latex, que por acaso até são os que melhor funcionam em novos.

Das 2 bicicletas que tenho, e uso as duas, tenho um pneu em cada uma com câmara e o outro com tubeless.
Numa cortou-se um pneu, levou remendo e câmara e fica, na outra é para aproveitar um pneu antigo não tubeless, vai ter de andar até ao fim, e até tenho lá 2 Tubeless novos de reserva para essa bicicleta.

É a minha experiência, não é uma verdade universal. Agora ela diz-me que o tipo de liquido utilizado influência, e muito, a experiência, quer seja com ou sem câmaras.

Ambos os sistemas funcionam e não tenho mais furos num pneu ou no outro.
Os com câmara tendem a perder menos ar, o pneu não fica cheio de pontos de liquido por fora e é um sistemas mais limpo de reparar no meio do trilho.
 
#45
Os com câmara tendem a perder menos ar,
Mas isso, é um não problema.

o pneu não fica cheio de pontos de liquido por fora
Sim, os meus estão uns passadores ( os pneus mais velhos e que tem mesmo muitas perfurações ( mesmo muitas), mas também qual é o problema!? só estético.

é um sistemas mais limpo de reparar no meio do trilho.
Não sei porquê!? nos tubeless câmara de ar não posso meter, voltava a furar de novo., não tinha hipotese, tenho so pneus cravados de picos... centenas!!! A solução é remendo com tacos... Se cortar, lateralmente, arriou ;) Mas isso é uma hipótese muito muito improvável ( onde ando), vivo bem com esse risco...

não é uma verdade universal. Agora ela diz-me que o tipo de liquido utilizado influência, e muito, a experiência, quer seja com ou sem câmaras.
VERDADE!!!
Portanto, não havendo verdades absolutas, faz e usa o que te faz sentir mais seguro.
 
#46
nos tubeless câmara de ar não posso meter, voltava a furar de novo., não tinha hipotese, tenho so pneus cravados de picos... centenas!!!
Já fiz isso uma meia dúzia de vezes... e continuei caminho sem tirar picos nenhuns...

Em travessias estava bem lixado se não levasse sempre as câmaras e os remendos para os pneus, são indispensáveis.

Eu acho que tens muito mais experiência em bicicletas que eu, mas já vi que ainda te posso ensinar uns truques de travessista. ;):D
Um pneu cortado raramente é impeditivo de se continuar a andar, agora se só levas CO2 e tacos... vens a pé...

Adiante, que isto já e conversa a mais, está a ficar um "chat".

Com tanta conversa de câmaras, fiquei com vontade de fazer uma travessia, eu a bicicleta e as belas das câmaras de ar, quer nas rodas quer na mochila às costas, que o ano passado foi uma desgraça. :rolleyes:

Comecei com uma Lisboa Santiago de Compostela em 2006, mas desde que fiz o Transportugal em 2010, ganhei definitivamente o gosto, nunca mais parei, todos os anos uma ou duas.

Para 2021 queria fazer a rota do côa e outra travessia de Portugal, mas vamos a ver se vai dar para ir, se a pandemia melhora e melhoram as condições.
 
Last edited:
#47
E já agora câmaras com liquido ou não ? Qual a marca das câmaras e o tipo de líquido ?

É que eu já uso câmaras com liquido à muitos anos e já apanhei boas, menos boas e mesmo más.
Eu uso câmaras absolutamente normais, onde introduzi líquido selante. Em todas as câmaras de pipo largo é muito fácil tirar o pipo, introduzir o selante e voltar a pôr o pipo.
Nas câmaras de pipo fino, têm de ter pipo amovível, o que a maioria não tem.
 

Daemon

Active Member
#48
Li tudo, e claro, cada um com o seu gosto ;)

Não obstante as experiências, encontrei este comparativo que pode elucidar as diferenças: https://wheretheroadforks.com/tube-vs-tubeless-bike-tires-pros-and-cons/

Uma vantagem do tubeless que ninguém falou é o facto de com tubeless o pneu se "moldar" melhor ás irregularidades do terreno, o que para mim é super importante (isto é parte da "ciência" que falei anteriormente)|

No entanto, há pneus Tubeless Ready de 600gr que para fazer estradões (para maratonas por exemplo) devem chegar e sobrar e não sofrer nadinha, mas esses mesmos pneus onde eu costumo andar, que tem bastante pedra, se calhar duravam 2 ou 3 voltas. Há que saber adaptar o tubeless ás condições a que geralmente o vamos submeter.

Dito isto, e para terminar, também +- 8 anos de tubeless devo ter tido uns 3 furos, mas apenas um impediu de continuar (um grande corte na lateral que nem uma camara resolvia). Agora uso pneus de +- 1KG (atualmente Maxxis Exo+) e não tenho chatices.
 
#49
Por curiosidade, respeitas a pressão mínima indicada nos pneus que usas, ou andas com pressões abaixo do que lá está impresso ?

É que para não cometer erro de escrita, até fui ver as pressões em alguns dos que cá tenho ( tenho 8 pneus em casa ) :
29×2,35 -> 2,5 a 4,1 bar tubeless
26×2,1 -> 2,0 a 4 bar normal flexível
Os pneus são de fabricantes diferentes mas equivalentes no uso e caracteristicas pretendidas, sendo o primeiro a resposta da Maxxis ao modelo da Schwalbe, que é dos modelos deles que mais vende.

É que andando com eles nas pressões mínimas indicadas, e seguindo o que os homens da ciência dizem, a minha sensação é que o tubeless molda-se bem menos ao terreno do que o outro que por acaso nem é tubeless...
Aliás eu diria que a sensação ao apertar ( subjectiva eu sei ) o 2,35 a 2 bar é mais duro que o 2,1 a 2,5 bar...

A mesma versão do não tubeless mas em 29×2,25, para ser mais equivalente, tem uma gama de pressões de 1,8 a 4 bar, e nunca o experimentei nessa medida, mas quase que apostava que ia achar que se molda melhor ao terreno, do que o tubeless, usando ambos nas pressões mínimas indicadas ( 1,8 e 2,5 respectivamente ).

Penso que o que escrevi esteja tudo tecnicamente correcto e não vá nada contra a ciência, mesmo que baseado nas minhas "sensações".
A ciência dos pneus tem evoluído, mas pressões de 1,8 bar já não são exclusivas dos tubeless, se calhar eram à 15 anos atrás, agora já não.
O preço da versão normal costuma ser bem mais simpático.

E quase que apostava que, tal como eu, usas os tubeless a uma pressão inferior ao indicado...
Eu pelo menos se não andar com o tubeless perto dos 2 bar o pneu fica muito duro e pouco confortável.
 
Last edited:
#50
Aqui na zona da Costa Vicentina/ MOnhique e espinhaço de cão. o pessoal que aqui anda, anda com a pressão abaixo do recomendado pela MAXXIS ( aqui é so maxxis EXO TR, e LUST, se possivel/ houver) - pneus 2.1 ou 2.20, e pressões a rondar os 1.6 a 1.8BAR. Eu venho de uma zona que é usual usar 2.00 a 2.10BAR... nos mesmo tipo de pneus. entretanto já tenho revisto a pressão para baixo.. e realmente é outra coisa, pois aqui as zonas tecnicas são muito mais tecnicas, seja a subir , seja a descer e o piso mais complicado. Tenho andado com 1.8/ 1.9BAR. ( tubeless) , ou seja abaixo dos 2.5BAR, recomendados descritos no flanco ( Crossmark 2.10)... Aliás isso dos 2.5BAR, é completamente ridiculo!!! ;)
 

Nande

Active Member
#51
Tenho ideia que em roda 29” ninguém deve andar com pressões acima de 2.0 bar... 2.1 quando muito!
Sempre pensei que as indicações que os fabricantes dão de pressões mínimas de 2.5” bar (que concordo serem absurdas), é para justificarem os testes que fazem a essas pressões e dizerem que os pneus são muito rápidos a rolar... pudera, são uma pedra! Embora não saiba como eles testam a aderência dos pneus, duvido que aí o façam com essas pressões :rolleyes:
Penso que quase 100% do pessoal que faz XC e Trail anda no dia a dia entre 1.7 e 2.0 bar.. estou errado?!
Quem faz Enduro e DH... aí não sei porque não faço :D
 

Daemon

Active Member
#52
Por curiosidade, respeitas a pressão mínima indicada nos pneus que usas, ou andas com pressões abaixo do que lá está impresso ?
Obviamente que não ando com essas pressões. Alguém anda? Hoje em dia nem o pessoal do DH nas pistas mais hardcore deve usar tais pressões!
Eu uso 1.5 á frente e 1.8 atrás.

Por acaso pesquisei mas infelizmente não encontrei, porque sei que há uma review/tech talk/whatever que fala exatamente do comportamento do pneu quando em tubeless e quando com camara. Basicamente, o pneu em tubeless molda-se ao terreno (único componente), e com camara o pneu até se pode moldar mas tem sempre outro componente interior (a camara) que compromete esse moldar (sei que é uma explicação tosca mas como não encontrei o que queria, simplifiquei).

Mas cada um com a sua ideia :D (eu nem tenho loja de bikes para andar aqui a "vender" ideias :) )

Aliás isso dos 2.5BAR, é completamente ridiculo!!! ;)
Isto!
 
#54
Diria que há inúmeras variáveis em jogo no que respeita à pressão. Quanto mais não seja: o peso do rider!
Creio que não existe uma resposta certa ou errada e muito depende do tipo de pneu, terreno, disciplina do BTT e por aí fora.
Ando em 27,5 com +- 1.7bar (um cheirinho menos à frente), mas não sou muito rigoroso nisto, confesso!
Agora 2.5 bar ou mais, é um perfeito disparate. É igual a pedra. Foi à conta de uma teimosia desse género que o meu cunhado se esbardalhou! :p