Nada é eterno!! E os "Frigorificos" estão na moda :)==== FrigoSant

boas :

sobre a beleza da bike nem se descute :clap:
vamos falar de €€€€€
por quanto ficou a brincadeira :hehe:

não é por nada mas estou a pensar em mudar ou comprar uma ??????

um bocado XPTO mas o branco é a minha cor de eleição :#1:


parabens


bons trilhos :xau: :xau:
 
PARABENS Josant

esta mesmo muito fixe..... um frigorífico daqueles :shock: :shock: :D

gostei muito tb da fita em vermelho na suspensao..... mais a de cima.... a de baixo nao gostei muito.. engraçado e original :)


abraço
 
Bem Josant isso é que é, que LINDOO frigorifico que tu ai tens. Mas para ficar ainda melhor era mudares para um stella branquinho , um guiador branquinho e umas rodas já agora tb branqinhas.

E ficava como o outro diz... "... branco mais branco não há ..." :p :p
 
Nada é eterno……….

Assim começou e assim há-de continuar. Sou insatisfeito por natureza, e a evolução de um projecto é algo que me motiva e me dá prazer. Houvessem mais euros e tudo seria mais fácil. Como não é o caso, as alterações ao projecto foram reduzidas.
Sempre que altero algo na Scale, penso sempre na fiabilidade, no peso e no custo. Ao contrário de muitos, eu confesso que gostava de ter uma bike de 8 ou 9 kg. Mas a carteira não dá para mais. Por isso sinto-me já um felizardo por ter o que tenho e saber que o que tenho transmite segurança, conforto, diversão e pouca manutenção.
Uma coisa é certa, se trocasse de quadro a Scale seria novamente escolhido, este já é o 2º.
Assim sendo e ao mudar agora teria de ser para o de carbono. E ai retirava pelo menos 600 gramas com os mesmos componentes. Baixando assim a fasquia dos 10 kg. Mas mais uma vez…………. (Money, Money, Money)

Análise em si:

Quadro:
Scott Scale 40 Alumínio 7005 – 2008



Não tenho experiência noutros quadros HT, mas a geometria do Scale, a posição de condução, a estética do próprio quadro faz com que me sinta “em casa”. É o meu quadro preferido. Eficaz a subir, nervoso a descer, rápido a curvar. Ao meu gosto!
A cor branca foi uma escolha de “modas”. Mas revela-se uma cor complicada, qualquer roçar acaba por ficar logo a marca. E canetas brancas de tinta permanente são difíceis de arranjar. :lol:
Outra das mais valias deste quadro é permitir que os cabos da transmissão e travão de trás, se alonguem por debaixo do tubo horizontal, sendo fixos por uns suportes muito práticos. Permitindo dessa forma que a transmissão leve cabos selados, evitando sujidades e humidades que acabam sempre por perturbar o bom funcionamento de uma transmissão.

Suspensão:
Fox RLC 100mm – 2009



Uma das boas escolhas que fiz, até agora nada apontar. Em comparação à Reba SL que tinha, algumas diferenças:
Mais leve ( 1580g) contra os 1610g + o Poplock da Reba.
Uma maior sensibilidade às pequenas irregularidades no terreno.
Mais regulações.



Um maior aproveitamento de curso em comparação à Reba SL.
Estou a usar 80 psis. Com a tralha toda o meu peso deve rondar os 80kgs. Se fosse a seguir a tabela da Fox deveria colocar 100 psis. Mas e após este tempo todo a andar de bike, cheguei a uma conclusão:
Para quê possuir uma suspensão de 100mm e usar somente 40 ou 50mm de curso. Se estão lá 100 mm disponíveis, porque não usar pelo menos 80 ou 90% do curso real?



É isso que tenho feito e tenho-me dado muito bem.
Quando é para subir ou rolar plano e rápido, uso o bloqueio.

Rodas:
Mavic Crossmax SLR 2008
Já não é novidade os problemas que me têm dado, não tenho problemas em o assumir. São bonitas, atractivas, ficam bem no conjunto, são “leves” e são tubless. Mas o problema dos raios tem-me dado cabo da cabeça. É um barulho mínimo, mas eu sei que ele está lá………….e isso chateia-me. Mas este assunto já está a ser debatido noutro tópico.
Fora isso e até agora apenas uma ligeiras folgas nos cubos, que facilmente são retiradas com chave própria que vem no conjunto quando se compra as mesmas.
Autocolantes e cor impecáveis. Bons acabamentos por parte da Mavic.





Pneus:
Frente – Maxxis High Roller 2.10
Talvez a última foto com ele, foi um pneu que nunca comprometeu. Boa tracção, boa duração. Mau rolador.
Finalmente irá ser trocado por um Maxxis Ignitor 1.95



Trás – Maxxis Larssen TT 2.0
Considero o melhor pneu para usar atrás ao lado do Crossmark da Maxxis também. Excelente rolador em todos os pisos. Muito satisfeito!



Como anti-furo uso o NoTubes ( 2 medidas) e já me salvou de alguns contratempos. Resulta mesmo! O melhor até agora, depois de já ter usado: Tufo; Slime; BlackSeal ( O pior de todos).

Travões:
Avid Juice Seven.
Já tive em tempos os Mini Hope. Se perdi em questão de peso, ganhei a nível de travagem e eficácia. Sou fã da marca.



Discos:
Hope 160 mm ( F/T)
Que dizer de uns discos com mais de 9000 kms e que continuam a rolar? É certo que ambos já têm um ligeiro empeno, mas continuam quase como novos. Espero e desejo que durem o dobro.
Só um aparte. Ao centrar o disco no bombito têm-se que ter cuidado para que os rebites do disco não fiquem a tocar em nada. Já soube de casos que devido a más afinações, os mesmos rebites arrancaram pastilhas em pleno andamento. Ou por vezes ficarem a comer o adaptador ou até a própria perna da suspensão.



Transmissão:
Pedaleira – XT 2008
Gosto mais deste modelo que do modelo anterior. Por outro lado as passagens nos pratos são mais eficazes e precisas. Nada a apontar.

Pedais:
Shimano M540
São os meus preferidos. Já tive e usei os CB Eggbeater C, mais leves que os 540. Mas não me adaptei. Prefiro de longe o sistema SPD para andar no monte. Duram, duram e duram………. Simples, eficaz e “barato”.



Desviador da Frente:
Shimano XT
Basta dizer que nunca foi afinado após a montagem. Simples, eficaz e “barato”.



Desviador Traseiro:
Shimano XT Shadow caixa média.
O mesmo de cima. Depois de montado, nunca mais foi afinado. Funciona perfeitamente, mesmo quando leva com carradas de lama em cima. Simples, eficaz, leve e “barato”.



Cassete:
Shimano XT – 32-11
Óptima precisão nas passagens. Faz o seu papel. Simples, eficaz e leve.
Corrente:
Sram PC 991
Funciona bem com a cassete XT.




Cabos Shimano Teflon com expirais Jagwire.

Avanço e Guiador:
Ritchey WCS Alum.
Punhos:
Ritchey WCS
Manípulos:
Shimano XT Rapidfire 2005
Nada a apontar.




Espigão de Selin
Ritchey WCS Alum.
Aperto Espigão:
KCNC




Selin:
Selle Itália SLR XC Gel Flow.
Já experimentei vários selins. Sem dúvida este é o meu escolhido. Tanto é, que o uso também na asfáltica.




Aderi à moda dos “extras” de cor vermelha. Sempre que posso, lá substituo.










De referir que tenho sempre as minhas bikes com películas transparentes protectoras. E esta não foge à regra. O mesmo faço em relação a alguns componentes de Maior exposição ao desgaste.
Gosto de estimar as coisas, mesmo que com isto tudo aumente umas boas 100 gramas ou mais ou peso final.

Peso Final -10380 gramas (mais grama, menos grama)

Está assim apresentada de uma forma simples e por um simples Bttista e amante das bicicletas a minha companheira de muitas aventuras.

Fotos Finais:













Eu gosto mesmo desta bike :wink:

C&C são bem vindos.

Josant
 
Ele há cada maluco... quem foi a besta que te convenceu a meter a bike na guarita?? :mrgreen: :mrgreen:

E acho que me lembro da foto do túnel... "olhó comboio!!!!...." :eek:mg: :rotfl:

Mesmo eu que não sou fá do branco a acho bonita. Quanto à eficácia.. já comi pó demais dela para duvidar. Parabéns :clap:
 
Das rígidas de alumínio mais bonitas que tenho visto e com uma escolha de componentes muito equilibrada na relação preço/qualidade. Sem entrar em exageros consegiste uma grande montada. Parabéns!
Com uma bike dessas só começava a perder o sono com um quadro scale em carbono.

Boas pedaladas
Alexandre baptista