Kona Jake the Snake 2009 - E agora, algo completamente diferente.

#41
Já agora, onde compraste o quadro?

Na net ou pelo importador português? É que não vejo nada deste tipo de bikes da kona no site do importador...
 
#44
Os travões não são exactamente maus. Faz-me falta é um pouco a brutalidade que consigo facilmente tirar de uns Avid Single Digit 7 bem afinados. Na minha opinião é um problema de fundo dos cantilevers, a falta da alavanca longa como os v-brake requer uma força de mãos superior. Talvez seja uma questão de habito.

É também possível que as pastilhas façam a diferença. Está nos meus planos experimentar uns calços Swiss Stop RX verdes. Dizem maravilhas daquilo.
 
#45
350plus, por falar em travões, reparei que as bicicletas completas de cyclocross da kona têm umas manetes de travão suplementares para usar na posição plana do guiador.

Por exemplo:


Não ponderaste usar esta solução?
 
#46
Sim, ponderei.

Segundo consta, isso é bastante util para quando se anda em grupos. Há sempre maior rapidez de resposta caso alguém caia à frente ou apareça uma obstrução inesperada. Digamos que é um sistema de segurança extra.

Decidi arriscar não usar essas manetes extra por uma questão de simplicidade, poupança de peso e dinheiro

A verdade é que até agora não senti falta. Fora de estrada tenho a tendência a seguir sempre com as mãos nos drops, ocasionalmente passando para os Hoods (os topos das manetes). De estas duas posições chego facilmente aos travões.

Os próprios corredores de cyclocross não costumam ser muito adeptos destas soluções.

Ficam aqui 3 bicicletas profissionais de CX, todas desprovidas de manípulos auxiliares:

http://cyclingnews.com/tech/2008/probikes/?id=joachim_parbo_leopardcx108
http://cyclingnews.com/tech/2009/probikes/?id=sven_nys_colnago_c50cross09
http://cyclingnews.com/tech/2009/probikes/?id=marco_aurelio_fontana_guerciotti09
 
#47
350 Plus, atrás referiste a hipótese de se colocar uns travões hidráulicos adaptados ás manetes de estrada, como é que isso se faz?
Já vi em algumas bikes, mas de facto não encontro em lado nenhum uma forma de se fazer isso... :nsei: :eish:
 
#48
Na altura disse:

"-Um quadro e forqueta com apoios de disco, para funcionar com travões Avid BB7 Road, ou uns hipotéticos hidráulicos integrados nas manetes de estrada. "

De facto, não existem modelos de produção de hidráulicos para usar em drop bars.

Um protótipo que tenho conhecimento foi feito pelo Hans-Christian Smolik para a Canyon. Totalmente homemade.

http://www.smolik-velotech.de/bilder/hydraulikbremse/

Encontrei ainda outra alternativa engenhosa. Consiste em usar manetes de cabo (as normais) actuando um cilindro hidráulico remoto.

Quer a Hope quer a Santana (fabricante de tandems) disponibilizaram (duvido que ainda o façam) no mercado estes reservatórios remotos.


Hope Remote Reservoir


Santana Master Cylinder

De qualquer forma, ainda não existe nenhuma solução totalmente integrada e comercialmente disponível. Aposto que num futuro próximos tais produtos vão aparecer.
 
#50
Já agora, um factor fundamental para a inexistência de manetes de estrada hidráulicas é a proibição por parte da UCI dos travões de disco em provas de cyclocross. Talvez se esta regra for anulada exista mais desenvolvimento.

Mas voltando ao tema dos travões hidráulicos disponíveis, existe ainda outra hipótese semi-artesanal.

Uma peça muito obscura fabricada pela Magura são os HS 77, travões de estrada activados hidraulicamente. Segundo se consta, com um pouco de engenho é possível substituir o travão por um bombite de disco da Magura.
 
#53
Bom dia,

em primeiro lugar quero dar-te os parabens pela analise,
em segundo quero dizer que estes artigos de bikes malucas me estão a deixar louco. A cada post novo que leio vejo mais uma maravilha da arte de montar bikes diferentes.
Obrigado por me fazerem descubrir um mundo que há tamto tempo procuro.
 
#54
350plus
Então a "Jake" tem estado parada ou o dono tem tido "preguiça" de dar noticias ?? Diz lá como têm corrido as voltinhas e como te tens adaptado :wink:...

Um Abraço
 
#55
Olá António,

Tenho usado fundamentalmente em estrada, que sempre foi o meu principal objectivo para esta bicicleta. Não há grande coisa a relatar pois tudo tem funcionado perfeitamente, sem problemas alguns ou necessidade de upgrades. Esta nasceu exactamente com as peças correctas. :wink:

A médio prazo vou converter novamente para modo offroad, com o objectivo de participar numa qualquer prova de btt mais rolante. Depende do que aparecer de interessante para se fazer.

Para não acabar sem um boneco, fica aqui uma foto do cockpit, tirada durante uma volta de 170 km pelo Norte montanhoso

 
#56
350plus
A velocidade nas "fininhas" é completamente diferente :lol:; daí a falta de relatos e fotos :twisted:.
A minha pergunta tem a ver com o facto de ter há pouco tempo ter investido numa "fininha"e estar a "descobrir" um Mundo novo.
Depois vamos lendo aqui e ali, vamos descobrindo "sensações", trilhos e uma ou outra troca de equipamento...
Tens andado mais na fininha que nas outras certo ?? Pelo menos é o que me tem acontecido :wink:.

Um Abraço
 
#57
Pois, sempre se rola bastante mais e sem grandes chatices de limpar, afinações etc.

De qualquer forma tento equilibrar a utilização. Andar em estrada tem a sua piada em termos físicos mas os verdadeiros desafios ( a nível técnico, físico e navegação) estão no monte. :wink: