Espigão de Selim c/ amortecedor

#41
bOAS!
Por acaso andei a vasculhar a Internet na procura de opções para aumentar o conforto a uma Bike rígida com um espigão 27.2

A ideia que fiquei é que depende muito daquilo que precisamos em especifico para a Bike (medida do Espigão/Offset) e do compromisso que estamos dispostos a ter entre a qualidade(preço maior) e o peso(mais baratos).
A ideia que fiquei é que temos o topo aqui:
Cane Creek ee Silk Seatpost 295g

Depois dentro desta marca há opções mais baratas, mas obviamente bem mais pesadas.

Senão há marcas(como no Post do colega mostra) que tem formas de adicionar mais conforto. Se bem que os preços geralmente são um pouco mais altos também.
Mas nada que a Internet não resolva ;)
Cumps
 

m.r.f.

Active Member
#42
Percebo o que queres dizer com a questão da direcção do movimento do espigão relativamente à direcção da força de impacto. E os da Cane Creek não são gabados por acaso. Eles funcionam transformando a força vertical em horizontal o que em principio será melhor para afastar os impactos das costas.

Mas da experiência que tenho com o RockShox Post apenas posso dizer que apesar dessas considerações sobre geometria/movimento ele funciona e funciona bem. Não posso é comparar, pois como disse nunca usei um Cane Creek.

Quanto às questões sobre falta de rigidez lateral não me recordo de ter lido referências a isso. Com o tempo podem surgir folgas, como é natural em todas as partes móveis (até há uma capa protectora para água e areias). O que tenho é a ideia de os Cane Creek poderem ter todas as partes substituídas mantendo-o sempre a funcionar bem. E se houvessem problemas com o design a Cane Creek já o tinha abandonado e não o produzia há mais de 20 anos, e outras marcas como a Suntour não o copiavam.

De resto, não me parece que se note a menos que ele já estivesse num estado avançado de desgaste. Nós próprios nos mexemos muito em cima da bicicleta, mesmo em estrada. As pernas e ancas não param, temos a carneira dos calções e os selins têm uma parte almofadada. Isto é, mesmo se o espigão tivesse uma folga de uns milímetros não notaríamos. O meu RockShox, se puxar e empurrar a ponta do selim para os lados, mexe uns poucos milímetros. Em cima da bicicleta nunca senti absolutamente nada.

Podes ver as criticas do Cane Creek Thudbuster no site MTBR, um dos principais sites americanos de Btt e o espigão tem 4.6 estrelas em 5. Estas criticas e votos são feitas por utilizadores.

https://www.mtbr.com/product/suspension/suspension-seatpost/cane-creek/thudbuster.html

A mesma classificação repete-se por onde procures, Desde revistas da especialidade até sites de comércio como Chainreactioncycles e afins. Se não te deres bem com o iglês usa o Chrome para ir ao site e pede para traduzir a página. Pode ficar um português "macarrónico" mas entenderás as criticas.
O Suntour é mais em conta, porem não dura muito tempo devido a problemas na contrução que no momento de amortecimento toca no slim e vai desgastando.
Vê este video que fala um pouco da rigides lateral e outras coisas:
 

Joseelias

Well-Known Member
#43
Tudo vai depender de que tipo de desempenho necessitas e de quanto estás disposto a pagar, porque diversas opções tens. Mesmo que excluas os espigões telescópicos e prefiras os de paralelogramo do género Cane Creek.

Uma coisa me parece consensual, os da Cane Creek funcionam bem e são duradouros, desde o LT com 75mm de curso, o ST com 33mm e aquele que o davidream referiu, o eeSilk com 20mm.

E depois há opções de carbono, leves, com 20mm de curso que dependem da flexão do material, mas que não tomam em conta o peso do ciclista. A menos que sejam vendidos com opções de peso o espigão não se vai comportar da mesma forma com um ciclista de 70 e outro de 80 kg.

Aquela situação com o da Suntour não tinha conhecimento e não abona muito a seu favor, mesmo que tenha ficado com a sensação que não aconteça com todos os selins. Talvez dependa do design dos carris, mas era algo que não queria descobrir.

Não me apercebi de questões de rigidez lateral no video. Pelo menos em relação aos Cane Creek. O único problema referido, e isso é comum a todos os espigões (inclusive telescópicos), é que se passar por impactos muito grandes o retorno da mola pode ser um pouco brusco pois não têm controlo do retorno. Tal como no caso das suspensões mais baratas.

Tens uma marca que me parece recente e de quem li muito bem, mas não é barata e não sei se tem espigões pensados para fora de estrada. É a RedShift com 33m de curso.

https://redshiftsports.com/shockstop-suspension-seatpost

EDIT: O espigão RedShift foi pensado para bicicletas Gravel, isto é, para fora de estrada. Não é XC mas enquadra-se no que queres, dependendo do curso ser suficiente e o preço aceitável.
 
Last edited:

Joseelias

Well-Known Member
#44
Encontrei o artigo original de onde a critica no vídeo foi buscar a imagem do desgaste do Suntour SP-12 NCX:

https://www.touronabike.com/sr-suntour-sp12-ncx-suspension-seat-post-review/

Um dos pontos negativos que o ciclista aponta é que o selim Brooks que usa foi uma montagem à justa. Isto é, o selim pode ter uma distância ou uma forma dos carris que não se adapte da melhor forma ao espigão. Os selins Brooks não são exactamente selins de Btt pois são estilo pasteleira à antiga e podem ter um design diferente dos que nós usamos, talvez...

De resto ele diz que não houve qualquer dano nem ao selim nem ao funcionamento das articulações apesar do desgaste.

Vi alguns videos do Suntour em uso no youtube e em nenhum deles me pareceu haver qualquer problema. Como disse, pode ser um problema de compatibilidade do selim ou até o ângulo em que o espigão está montado pela geometria do quadro e que lhe criou aquele problema.