Crise, como vai afectar o nosso desporto o btt?

#21
Boas.
Se geralmente temos cuidado com a bike é bom continuar assim para que dure bastante tempo, agora se não puderes por um componente topo de gama ou por aí parecido, adquires um de gama média que não vai ser por aí que não vais curtir o teu desporto. Se evitares algumas maratonas e passeios também poupas uns euros, claro que também ficamos a perder um pouco pois são nesses eventos que se vive realmente o mundo do BTT. Acho que muitas vezes os nossos maiores gastos até nem são as nossas bikes mas sim em todo o nosso dia a dia. Claro que há sempre maneiras de poupar uns euros mas isso depende da organização e prioridades de cada um. Lembra-te que para te divertires não precisas ter nada de grandezas, mas sim força de vontade e bom companherismo. A meu ver, isso sim que são pontos fundamentais para a prática de qualquer desporto, principalmente o de convivio.

Fica bem.
Marco,

Assino por baixo.

O BTT não tem de ser, necessariamente, caro.
 
#23
Meus amigos...CRISE?? - Mas de que crise é que vocês estão a falar??

A de Portugal??
É que para mim há muito tempo que este país atravessa um grande crise...mas de mentalidade.
Vivemos num país de aparências, onde hoje em dia é vergonhoso e humilhante para muitos dizerem que tem de deitar a tv cabo a baixo de modo a pouparem 30 ou 40 euros por mês. Mas andamos a tentar enganar quem?? - A Merkle??

Eu comprei uma bicicleta ST usada de 2009, no último dia do ano de 2010 fui á loja buscá-la, e só vou começar a andar nela em 2011.
Com esta minha compra poupei nada mais nada menos do que 500eur. Nova custava 1.400,00eur e eu simplesmente procurei e esperei pela oportunidade certa no momento certo, e aconteceu.

Acho que o mercado de usados (peças e bicicletas) será a melhor opção para quem realmente quiser poupar uns euros, assim como deixar os caprichos para trás das costas e só comprarem material quando este estiver mesmo danificado.

Quanto a provas...ninguém me venha dizer que é lá que se vive o verdadeiro espirito do Btt, porque isso meus amigos é UMA GRANDESSISSIMA TANGA.
Comecem por aí a poupar uns valiosos euros, e num espaço de 1 ou 2 anos pensem mas é em adquirir uma boa máquina de filmar e um bom programa de ediçao de video e relaxem enquanto estiverem a ler os comentários do pessoal que visionou os vossos filmes no youtube ou no Facebook.
Isso para mim é que é satisfação garantida.

P.s - Já agora, quem tiver muito dinheiro não é para aqui chamado.
 
Last edited:
#24
Eu estou em crise, vai fazer em Abril 12 anos (quando casei), daí já estar habituado...
A manutenção das bicicletas é feita exclusivamente por mim, peças substituídas: só se estiverem estragadas ou gastas, adquiridas com pesquisa na net a procura dos melhores preços; passeios, só os perto de casa e que já tenham bom feedback de anos anteriores. Ando mais devagar para o motor da bicicleta consumir menos.
 
#26
Amigos, podem ver AQUI a crise que vai pelo nosso País.

Eventos com perto de 200 participantes confirmados e muitos outros já com umas boas centenas de inscritos para daqui a 4/5meses...

Para não falar de um evento lá para dia 7 de Maio já com mais de 3000 participantes confirmados "a 40€ cada um"...

Fins de semana com 6/7 Maratonas no mesmo dia...

Etc, etc, etc...

O tuga desenrasca-se. Poupa-se num lado e mantém-se o vício no outro.

Peço desculpa mas é inevitável esta constatação para se discutir se a crise, vai afectar ou não o nosso btt... isto pelo menos, de quem se desloca para participar em eventos e para onde vai grande parte dos nossos aérios (combustíveis, portagens, alojamentos, preços de inscrições, manutenções das bicicletas e dos carros , etc...).

Talvez este tópico tenha mais sentido no final de 2011/ínicio de 2012 e mesmo assim... :roll:

Cumprimentos

Hugo
 
#27
Boas amigo proque.
É mesmo isso que estou dando a entender - "Lembra-te que para te divertires não precisas ter nada de grandezas, mas sim força de vontade e bom companherismo. A meu ver, isso sim que são pontos fundamentais para a prática de qualquer desporto, principalmente o de convivio."

Peço desculpa se não me fiz explicar da melhor maneira.

Fica bem.
 
#29
Boa noite!
A crise faz-me alguma confusão, pela diversidade de prismas em que pode ser entendida. Se, por um lado, há quem faça contas e mais contas para chegar ao governo da vida, por outro lado, vê-se quem, orgulhosamente e estranhamente, se passeie em carros de alta cilindrada sem atender a gestos de poupança, tais como acelerar com moderação, conduzir com o cuidado de provocar consumos mais moderados, pessoas a frequentar bares onde uma bebida pode custar 10 vezes mais do que o preço num hipermercado, miúdos a almoçar em restaurantes ao lado das escolas, diariamente, por 5 ou 6 euros, quando na escola custa menos de metade, alunos subsidiados a não almoçar na cantina e a comer cachorros nos bares da esquina, pequenada a fumar um maço de tabaco por dia, portugueses a frequentar, percentualmente (e, talvez, absolutamente), os países das Caraíbas, para passar férias, luas-de-mel em cascos-de-rolha, passagens de ano em locais caríssimos, com a agenda de reserva totalmente preenchida, um parque automóvel dos melhores da Europa, tal como o das motos, bebidas e comidas nas estações de serviço a preços vergonhosos, mas a serem vendidos...
Bom, fico por aqui na enumeração!
No btt, o nosso desporto, que pode ser barato, ou caro, conforme a vontade de cada um, há situações alarmantes! A escalada de preços de bicicletas a que algumas pessoas se dedicam, sem perceber que, muitas vezes as compram para deleite e babanço de quem as vê e não para proveito físico e psíquico pela utilização a pedalar, aliado à verdadeira explosão de eventos pelo país fora e frequentados, alguns com preços de verdadeira exploração, mas muito frequentados, são atitudes que dão que pensar!
Será a crise generalizada, ou selectiva!? Haverá, também aqui, filhos e enteados!? Haverá os infelizes seleccionados pela dita e os que lhe passam ao lado!? Será que se vive acima do possível...!?
Ora aqui está...! Em boa parte, estamos conversados!
Lembro-me, nos meus tempos de meninice (há muitos anos...), vivia-se com cuidado, com gestão dos pertences, sem grandes alardes! Chamava-se governar a vida! Agora, chama-se crise!
Claro que ela existe! E, de que maneira! Há, mesmo, quem passe fome! Nas escolas, nota-se isso em algumas crianças! Não vale a pena esconder! Mas, ao lado, há esplanadas plenas de estudantes e quintas-feiras de bares a abarrotar...
Desculpem esta confusão de dúvidas, mas não consigo entender!
Modere-se os gastos, coloque-se pés no chão e ponha-se enfoque na produção!
Obrigado, amigos, por lerem este post, talvez o mais azedo dos que escrevi até agora!
Boa noite!
 
#30
Boa noite!
A crise faz-me alguma confusão, pela diversidade de prismas em que pode ser entendida...
Concordo inteiramente com este retrato desta "estranha sociedade" em que nos tornamos, em que o parecer ser, o ser mais que o vizinho sem olhar a meios é em muitos um denominador comum... Infelizmente, na minha opinião, enquanto uma significativa maioria continuar a alinhar por este prisma, nunca iremos como país dar a volta à questão e continuaremos a discutir os efeitos de crise atrás de crise.... Espero sinceramente estar errado e que daqui por uns tempos este post não faço sentido nenhum, seria bom sinal para todos...

Cumprimentos a todos
 
#31
Viva.
No que particularmente ao BTT diz respeito sou bastante criterioso nas compras:
- compro no mercado de usados e on-line;
- compro numa loja em particular que em certo items tem preços muito bons;
- tenho atenção ao desgaste do material para evitar gastos extraordinários devidos a falhas do material;
- procuro fazer o máximo de manutenção preventiva e não em casa e por mim, justamente para não ir à loja, por exemplo afinar mudanças;
- vendo as peças que vou tirando da bike;
- nos passeios aqui ao pé de casa o ano passado fui a pedalar.
No geral sou uma pessoa poupada e que sabe perfeitamente o que pode ter e o que consegue ter e manter. Não foi preciso a tão badalada crise para que eu aprendesse a poupar. Sempre o fiz a pensar no futuro.

Fora do BTT, não sou um consumidor impulsivo. Pondero, comparo, escolho e compro se necessário. Por vezes faço a pergunta: Preciso mesmo disto? Desde que haja a dúvida é porque não preciso.
Não tenho televisão por cabo. Não tenho carro, pois a minha actividade profissional permite que circule com o carro da empresa. Mesmo assim e ao contrário de muitos, controlo os consumos de combustível da viatura. Podia ter carro próprio? Podia. Preciso mesmo? Não.

Ainda no outro dia, em conversa com uma pessoa, que se queixava que o patrão não lhe tinha pago os subsídios de férias e natal de 2010 e não tinha recebido 3 ou quatro meses, fiquei de boca aberta. Esta pessoa que se queixava que não tinha dinheiro e que tem família para sustentar e casa e mais não sei o quê, saca um belo de um iPhone, dos novos do bolso! Fiquei de boca aberta!

Concluindo, não posso dizer que a crise tenha afectado o meu BTT. Uma altura que estive sem trabalho o primeiro corte foi logo no bike. Passei a andar menos, a aguentar mais o material. Não participava em passeios.
Creio que devemos ponderar bem as compras e as deslocações para os passeios.
O principal, como já foi dito, é ter a perfeita consciência do que podemos e não ter. Ter só porque o vizinho tem não se enquadra no meu pensamento. Até porque a isso chama-se inveja e corrói-nos por dentro.

Boas pedaladas
 
#35
Estamos em crise? Sim, como foi referido lá atrás, de mentalidades.
Participo num outro fórum em que se pedem conselhos para aquisição de material fotográfico, em alguns casos de várias centenas de euros, só para bater uma chapa de vez em quando e porque gostam de fotografia. Com uma compacta de 100€ faziam o mesmo trabalho e não gastavam tanto.
Outro exemplo, a secção de aquisições de dúvidas sobre a compra de ginga. Quantos dos que querem compara uma ginga de 1000, 2000 ou até 3000€ vão realmente usar realmente aquela bicicleta para que foi concebida. Para competir?
Não, para mostrar que tem uma grande ginga, e que no final de contas foi mais parvo que os outros, pois os outros tem uma máquina mediana e bem mais barata do que a dele. E acabam por andar por onde ele anda.
Não é um desabafo, apenas uma constatação. Cada um gere o dinheiro como quer, mas duvido que nestes casos lhes sobre alguma coisa para quando realmente precisam...
 
#40
Como vários já disseram a Crise é algo que eu sempre ouvi!
É claro que todos queremos ter sempre algo melhor! Mas cada um deve ter a noção até onde pode ir(€€€). Mas a verdade é que a grande maioria das pessoas nunca viveu também bem! Não é, muitas vezes por se ter a bike a ou b que se retira menos ou mais prazer das pedaladas! Agora o que me faz confusão é como algém referiu as pessoas queixarem-se e depois aparecerem com ipods, telemóveis, carros,BIKES, etc!
Não de pode ir a um passeio, bem pode-se pedalar a partir de casa! ou então dividir os custos das viagens com mais alguém.
E apesar de ser um fora da discução, quando vejo empresas que não conseguem arranjar pessoas para trabalhar, isso é que me faz confusão!
Mas afinal nós somos o pais do futebol e do fado!
Pedalar tem quanto a mim mais haver com estado de espirito do que ter a bike xpto, e para isso não é preciso assim tanto €€€!
Boas pedaladas