Crónicas de um Bravo do Pelotão por Terras Helvéticas

elvales

Active Member
@elvales,
Obrigado por seguir e comentar.
Tem piada, conheci Pandoses [com (s)] o ano passado quando procurava uma pequena praia fluvial fantástica que me indicaram para essas bandas.
Não a encontrei embora tenha ido desde lá de cima das Cerdeirinhas até à barragem da Caniçada, mas deu para ficar a conhecer o Aquafalls Nature Hotel ou como eles dizem “Welcome to Paradise”. Os mais curiosos podem clicar aqui.
Embora nade como um prego :), foi também o ano passado que descobri o verdadeiro prazer de sornar junto às margens de um curso d’água, num dia de muito calor.
Há gajos que demoram mais tempo que a média do comum dos mortais a atingir o Nirvana ;).
Aquele abraço,
Com Z ;) embora se use muito com S também, não sei qual das duas a mais certa. Conheço perfeitamente as pequenas praias, são maravilhosas para um banho refrescante ou como dizes uma sesta retemperadora!
 

Attachments

Boa tarde ao Fórum,

Este fim de semana não deu para pedalar pelo que acabei por fazer uma pequena caminhada em companhia da minha « spose » nas cercanias. Foram cerca de 9 kms.
Deixo-vos a única foto tirada com a ajuda do I5S.

Cumpts,
Alexandre Pereira

 

AFP70

Active Member
Boa tarde ao Fórum,

Sabiam que é possível ir de de Marvão-Beirã a Castelo de Vide utilizando um “railbike”?

Imagine-se a pedalar sobre a linha de comboio e mergulhar na beleza das paisagens do Parque Natural da Serra de São Mamede.

Uma forma segura, original e divertida de viajar entre sobreiros, carvalhos, vida selvagem e belíssimas vistas sobre as vilas históricas de Marvão e Castelo de Vide.

Para mais informações clicar em Rail Bike Marvão

Deixo-vos este pequeno texto informativo, retirado do IP Património (IPP).

“De Marvão-Beirã a Castelo de Vide

Iniciados no final do ano passado após um período de testes, os passeios turísticos no Ramal de Cáceres, entre Marvão-Beirã e Castelo de Vide, deverão ter grande incremento a partir desta Primavera.

Tudo começou em 2017 quando a IP Património (IPP) lançou um procedimento para a subconcessão da exploração de uma atividade de animação turística no troço do Ramal de Cáceres entre as estações de Castelo de Vide e de Marvão-Beirã (km 223,421 ao km 238,872), recorrendo à utilização de veículos tipo ‘railbike’ na plataforma de via férrea, um projeto inovador em Portugal.
Inaugurado em 1880, o ramal que faz a ligação entre Torre das Vargens, no concelho de Ponte de Sor e Beirã, a escassos quilómetros da fronteira, foi encerrado em agosto de 2012 acabando com a ligação mais curta por caminho-de-ferro entre Lisboa e Madrid, feita durante décadas pelo comboio Lusitânia. Agora, com os veículos ‘railbike’, tornou-se possível percorrer mais de 15 quilómetros nos carris, graças ao dispositivo movido a pedais, e viajar no corredor ferroviário a baixa velocidade tendo um acesso privilegiado a toda a paisagem envolvente.

“Foi um processo longo e difícil até conseguirmos esta subconcessão por um período de oito anos”, dizem-nos Susana Torgal e o neozelandês Leonard Macleod que dirigem esta empresa turística. “Autorizações, burocracia, pensar um projeto pioneiro entre nós, apresentar um protótipo desta espécie de bicicleta adaptada aos carris, encomendar o material por peças dos Estados Unidos, realizar os testes, enfim, inúmeros trabalhos até à realização das primeiras viagens em outubro do ano passado.”
“Não é uma invenção nossa pois veículos semelhantes existem já em varios países para dar uma segunda vida a linhas férreas sem uso. E aqui tínhamos uma via em bom estado que atravessa um parque natural, o que muito nos agradou”, explica Susana que enaltece ainda as vantagens desta atividade desportiva, lúdica e de contacto com a natureza.

Susana e Leonard conheceram-se em Barcelona, onde ela trabalhou durante anos como tradutora, antes do regresso a Lisboa para gerir um restaurante. A lufa-lufa da capital foi uma das razões que a levou a deixar Lisboa e a abraçar este projeto.

“O início do negócio tem tido reflexos positivos e um vídeo que colocámos no Facebook já teve quase 45 mil visualizações”, afirma Susana. “A maioria dos utlizadores têm sido portugueses da região, mas também outros que vêm de propósito, por exemplo de Lisboa, e que se hospedam aqui em Beirã ou em Castelo de Vide (Train Spot Guest House e Pensão Destino, alojamentos turísticos localizados nas antigas estações e que foram subconcessionados pela IPP). E também da raia espanhola, nomeadamente após a reportagem realizada pelo diário ‘Hoy’, de Badajoz.”
“Agora, no Carnaval, abrimos também o bar (situado no antigo Cais Coberto) que, na temporada baixa, funcionará de sexta a domingo. Todo o espaço foi recuperado e decorado, aproveitando as madeiras existentes.”
Com esta espécie de bicicletas adaptadas aos carris, os turistas percorrem pedalando o troço desativado, atravessando o Parque Natural da Serra de São Mamede, área protegida e de grande beleza paisagística, repleta de carvalhos, castanheiros, sobreiros, azinheiras, enquanto no céu planam, tranquilos, grifos, milhafres e águias perdigueiras.
“É um percurso lindíssimo, em plena natureza, com pontos incríveis como uma ponte com cerca de 30 metros de altura a metade do caminho (Ponte da Ribeira de Vide, com um vão de 108 metros)”, acrescenta, entusiasmada, Susana Torgal.

Guardados no Cais Coberto da Beirã que serve de apoio a toda a operação comercial e onde são recebidos os viajantes, estão seis veículos do tipo ‘railbike’ (cada um pode levar dois passageiros). Os passeios são sempre acompanhados por um guía (Susana ou Leonard), até porque há que garantir, em segurança, o atravessamento das antigas passagens de nível existentes no percurso. São também os concessionários que asseguram a limpeza e desmatação do canal ferroviário.
Dois percursos estão disponíveis – um com 15km (ida e volta), que dura duas horas (20 euros/pessoa), e o outro, com um total de cerca de 32km, de Beirã a Castelo de Vide e regresso, entre cinco a seis horas (45 euros/pessoa, o que já inclui paragem para almoço/piquenique no campo).

“Gostaríamos de vir a poder realizar também passeios transfronteiriços, o que enriqueceria muito esta experiência, ampliando a viagem para lá da fronteira espanhola que dista sete quilómetros de Marvão-Beirã e envolvendo um parceiro do país vizinho”, adianta Susana antevendo, quiçá, um futuro próximo.

Site Rail Bike Marvão; Facebook railbikemarvao; E-mail: railbikemarvao@gmail.com; Telemóvel (+351) 912 987 639.”

 
Boa tarde ao Fórum,

Por alturas do Natal de 2017 visitei o “Marché de Noël de Strasbourg”.

Dizer que se o tivesse feito em 2018, talvez estivesse na lista das vítimas do atentado. É por isso que acredito que isto de estar vivo é uma verdadeira roleta russa ou como diria Sêneca “Apressa-te a viver bem e pensa que cada dia é, por si só, uma vida.”.

Aqui ficam algumas fotos para alimentar a vossa curiosidade.









































Cumprimentos,

Alexandre Pereira
Um Bravo do Pelotão, neste caso sem…