[Crónica] A alvura do Alvão

#23
Estive agora a ler os comentários que escreveram ao longo do dia e, claro, sinto-me lisonjeado pelo acolhimento desta crónica.

Para nós foi realmente um belo passeio mas é preciso esclarecer uma coisa: nós não estivemos propriamente no Polo Sul :lol: Apesar do cenário que as fotos apresentam, não foi desagradável. Estava frio, claro, mas o nosso equipamento deu razoavelmente bem conta do recado, exceptuado os dedos dos pés e das mãos durante a descida de regresso.

Na outra semana, por exemplo, o vento na Serra Amarela foi bem mais desagradável. E no ano passado eu, o Tico e o Padawan estivemos no Alvão, com pouca neve mas bastante mais vento e gelo e também foi bem mais duro:

:eek:mg:

Na altura em que estava a nevar, eu e o Eduardo chegámos a comentar que agora percebíamos porque é que em países mais frios que o nosso a bicicleta é tão popular mesmo de inverno. É que a chuva é que é desagradável. Agora duro deve ter sido aquilo porque passaram estes meninos: http://www.forumbtt.net/index.php/topic,46953.0.html :s
 
#24
Re: [Crónica] A alvura do Alvão

Subscrevo tudo o que o Indy disse acima.

Ressalvo também que não corremos risco algum. Subimos a estrada até onde havia caminho e depois voltamos para trás. A intenção era simplesmente por um pézinho na neve. Era bom ter conseguido chegar lá cima... Mas revelou-se de todo impossível.

E olhando para as fotos, ainda hoje saboreio a viagem. O prazer de tentar controlar as bicicletas, constantemente derrapando naquela zona gelada da barragem. A conversa curta e bem humorada com os dois soldados da GNR que nos abordaram à saída da cabana. A cara de supresa do condutor do caterpillar feito limpa-neves quando nos vê surgir ao lado dele, caminhando em 30 cm de neve.
 
#25
Boas isso não é justo . :s :s :s
Ainda hoje vi no telejornal a aldeia de Lamas de olo toda branca tal e qual como nestas fotos e pensei cá para mim.....
Vou falar com o Pedro Indy para ver se trata de programar uma saida para este fim de semana a neve .

E estou eu a pensar em pedalar na neve, e ele o Indy a escrever o relato da sua saida mais o 350 plus a aldeia de lamas de olo a curtir a neve aahhh pois ééé.
Gandas malucos. E mais uma vez estou um passo atraz :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

Um abraço Oscarbh.
 
#29
Re: [Crónica] A alvura do Alvão

Á semelhança do que tinha feito com o relato da volta na Serra Amarela, produzi uma versão de exportação e mandei para o MTBR. Fica o link para os interessados em praticar a lingua de Shakespeare.  :wink:

http://forums.mtbr.com/showthread.php?t=473844

Myrage,

Aquele pneu da frente com grandes picos parece bem convidativo para um OTB + face plant. OTB esse que é inevitável quando ele apanhar uma pedra por baixo da neve.  :mrgreen:
 
#32
Boas
Una sortudos é o que voçes são.
Pois eu aqui na minha zona neve nem daquela a fingir.
Boas fotos excelente relato.
Quero só acrescentar que estou todo roido de inveja.



SAUDAÇÕES BETETISTAS E BOAS FESTAS
 
#33
Faz hoje 1 ano que foi aberto este tópico. Nunca pensámos tornar isto num clássico mas, por obra do acaso, realizou-se hoje a 2ª edição.

Estava agendada para hoje uma incursão ao Corno de Bico, o que para mim seria uma estreia. Felizmente que foi adiada, pois preferia visitar e fotografar o local com condições climatéricas mais agradáveis. Assim, com a vaga no calendário, decidimos (eu e o Plus), já durante a noite de ontem, voltarmos ao nosso bem conhecido Alvão em busca da neve.

Ainda carreguei no GPS um percurso com cerca de 70km e com passagem pelo Alvão e Sra da Graça mas as condições climatéricas que encontrámos ao chegar a Mondim de Basto desencorajaram-nos a encetar planos ambiciosos. Assim decidimos "ganhar um pouco de altitude" e iniciar o trajecto precisamente no mesmo local do ano passado, no cruzamento do Fojo, junto às Fisgas de Ermelo. Mas o clima continuava implacável.


Desta vez fizemos a ascensão pelo famoso trilho de Varzigueto, com a pedra molhada e bem traiçoeira, passámos Barreiro e Lamas de Olo onde começámos a ver os primeiros sinais da neve que conseguia resistir à chuva intensa.

Na Barragem Cimeira virámos à esquerda para o derradeiro troço que nos levaria ao topo. À medida que subíamos as condições iam piorando ainda mais:
[video=youtube;feQkOsuZZbY]http://www.youtube.com/watch?v=feQkOsuZZbY[/video]
http://www.youtube.com/watch?v=feQkOsuZZbY

Este não era um dia muito aconselhável para colocar objectos electrónicos ao ar livre pelo que me limitei a tirar duas fotos das montadas sem grande interesse mas para mais tarde recordar.




A chuva entretanto resolvera aumentar significativamente de intensidade. Fizemos o regresso por estrada, aproveitando para revisitar as aldeias do ano passado.

Nestas condições não há impermeável nem SealSkinz que resista e, como não podia deixar de ser, pesávamos bem mais à chegada que à partida, de ensopados que estávamos. Um velho abrigo de montanha possibilitou-nos um parco telhado para trocar de roupa.

E lá regressámos no velho Fiat, gelados mas com a alma cheia. Até para o ano... talvez. :)
 
Last edited by a moderator:
#34
Li, algures, estas afirmações lapidares: "...com as minhas pobres articulações a susurrarem-me que, se pretendo sentir o apelo da natureza, é preferível ficar-me pelas obras de Jack London. À tarde o crepitar da lenha na lareira teve outro sabor."



Deve ser por causa do ditado "Faz o que eu digo, não faças o que eu faço."
 
#36
Caro Major, ele não estava realmente convencido que fosse a melhor das ideias. Mas lá está... Depois de surgir a ideia, não podia dar parte de fraco

Quanto à volta, se em termos visuais não teve a espectacularidade da volta do ano passado, em dureza física e psicológica foi muito superior. A ascensão até ao Alto do Alvão foi duríssima, com ventos castigadores, piso gelado e escorregadio e um verdadeiro jacto constante de agua e gelo a bater no corpo. E descer quilómetros após quilómetros totalmente ensopados em água também é um teste à resiliência. Enfim, há malucos para tudo. :D

Ficam algumas esparsas fotos. O tempo estava propício para destruir máquinas fotográficas e não quis abusar muito da sorte.


O início de subida.


As furiosas Fisgas do Ermelo


O enorme caudal do rio que alimenta as Fisgas


O topo


Um Indy ultra-congelado.
 
#37
Boas! :D

Por pouco... o congelamento não se fez sentir! :eek:mg: afinal, (hoje) fiquei em casa!!! mas ao ler a 2ª edição no Alvão já estava a ficar congelado!

...vocês são malucos!!! :choneh:

Abraço

bartes -13- :mrgreen:
 
#38
Fico a aguardar uma analise detalhada das meias SealSkinz. (Estou a pensar mandar vir umas da chain)
Do Fiat Uno não é necessario analise. Já tive um e sei que é de Guerra ( Capotei em 1996 na estrada da Circunvalção. E quando o entreguei na Sucata ainda pegava à primeira...) :lol:

My